335 casos de covid e mais três mortes no Acre

Da Redação

Os números da Covid-19 continuam em ascensão no Estado, mesmo a despeito das medidas mais duras de isolamento que estão sendo tomadas e já atingem grande parte do interior. Mais uma vez foi quebrado o recorde de pessoas contaminadas nas últimas 24 horas. No boletim parcial desta quarta-feira, 20, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) confirmou 335 novos casos da doença. O número agora chega a 2.817.O número de mortes também aumentou com a confirmação de três novos óbitos. O Acre chega agora a 76 mortes provocadas pela Covid-19.

Foto: Dhárcules Pinheiro

As mortes são de um homem de 73 anos, e que tinha dado entrada na UPA do Segundo Distrito. Ele apresentava hipertensão arterial e tinha histórico de diabetes. O idoso faleceu nesta terça-feira, 19.

Outro homem, de 91 anos, morador de Cruzeiro do Sul que deu entrada no Hospital do Juruá no dia 18 de maio faleceu nesta quarta-feira, 20. No seu histórico de agravos há doença pulmonar obstrutiva crônica e diabetes.

Uma mulher de 94 anos que deu entrada na Pronto-Clínica de Rio Branco, sem informações de data de ingresso e faleceu na terça-feira, 19.

A situação começa a fugir de controle no interior, especialmente em Epitaciolândia e Brasileia, que podem se transformar em focos de disseminação da doença. A Covid-19 atinge servidores do Hospital Wildy Viana em Brasileia e se espalha nas duas cidades, já com transmissão comunitária. Novas medidas devem ser tomadas para evitar a propagação, estando previstas medidas de incentivo ao isolamento social. Barreiras sanitárias estão montadas de forma conjunta pelas prefeituras dos dois municípios com inclusão de novas regras para a saída de casa.

A circulação de automóveis e cargas pela BR-364 está severamente afetada e controlada.

Os prefeitos Tião Flores e Fernanda Hassem não descartam a decretação de feriados e pontos facultativos para frear a disseminação do vírus, que já tem transmissão comunitária.

Rigor grande também está sendo centrado em taxistas e motoristas de aplicativos. Alguns deles contaminados.

A capacidade de atendimento médico especializado está sobrecarregada e já faltam respiradores nos hospitais e pessoal técnico. O governo do Estado está tentando enviar mais equipamentos para a região, mas a falta é generalizada em todo o Estado.

Com medidas restritivas e com o uso de força policial, a Bolívia está conseguindo controlar a expansão da Covid em Cobija, mas mesmo assim é grande a procura por tratamento especializado no Brasil, sobrecarregando a estrutura hospitalar.

Outras cidades como Tarauacá e Feijó também apresentam números crescentes de casos diagnósticados de Covid.