Juiz do caso Eike confessa desvio de dinheiro do milionário

O juiz federal nascido em Cruzeiro do Sul, Flávio Roberto de Souza – afastado do cargo e do processo em que o empresário Eike Batista é réu – confessou ter desviado mais de R$ 1 milhão do dinheiro apreendido pelo Tribunal Regional Federal. A informação foi divulgada hoje pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, que investiga o magistrado pelos crimes de peculato, subtração de autos, fraude processual e lavagem de dinheiro. O juiz teria confessado em auditoria do TRF que tirou dos cofres da 3ª Vara Criminal do TRF 108 mil euros e US$ 150 mil em espécie – o equivalente a R$ 835 mil. Flávio Roberto de Souza ainda teria proferido decisões para desviar outros R$ 290 mil depositados na Caixa Econômica Federal. Os valores do desvio, somados, chegam R$ 1,12 milhão. Já está comprovada a falta de R$ 27 mil no dinheiro que estava em um cofre na sede da Vara dirigida pelo juiz.

Segundo as investigações, o dinheiro retirado do cofre da 3ª Vara Criminal teria sido apreendido com um traficante internacional de drogas, segundo denúncia do portal G1. A investigação contra o juiz começou por ele ter sido flagrado dirigindo o carro de luxo do empresário. O TRF, a pedido da corregedora do Conselho Nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, afastou o juiz do caso e o suspendeu de suas atividades. O TRF negou o pedido de prisão preventiva do magistrado, mas autorizou a quebra do sigilo fiscal e bancário de Flávio Roberto de Souza, pedido pelo Ministério Público Federal. A Justiça também concedeu mandado de busca e apreensão das quantias supostamente desviadas pelo juiz. Todas as decisões do magistrado no processo contra Eike Batista foram anuladas, com exceção do bloqueio de bens do empresário.