ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Poderes Judiciário e Executivo discutem parcerias e avanços institucionais

Em uma aproximação que concorre para a defesa dos interesses dos cidadãos e o aperfeiçoamento das relações de Estado, os Poderes Judiciário e Executivo estabeleceram mais um encontro institucional. A presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Denise Bonfim, e a desembargadora Waldirene Cordeiro, corregedora geral da Justiça, visitaram o governador Tião Viana, no início da noite dessa quinta-feira (24).

O encontro também teve as presenças dos juízes de Direito Lois Arruda e Cloves Ferreira, auxiliares da Presidência e da Corregedoria do Tribunal, respectivamente; bem como da subchefe da Casa Civil, Flora Valladares.

A desembargadora-presidente Denise Bonfim tem reiterado a manutenção da independência do Poder Judiciário Acreano, mas também a necessidade de se buscar a harmonia e o diálogo institucional, sobretudo na construção de parcerias e conjugação de esforços voltados aos cidadãos. Ao lado dos demais membros integrantes da atual Administração, ela tem envidado esforços para o fortalecimento da Magistratura Acreana.

Em tom otimista, o chefe do Executivo falou sobre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que pertence à Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo do Órgão é promover o desenvolvimento e eliminar a pobreza no mundo.

O PNUD divulga o Relatório Anual do Desenvolvimento Humano, cujo foco reside no debate global sobre questões-chave de desenvolvimento, a fim de fornecer novas ferramentas de aferição, análise inovadora e propostas de políticas públicas.

Tião Viana anunciou que a expectativa é de que os índices do Programa em relação ao Acre serão bastante positivos, nas áreas econômica, de educação, saúde e, principalmente, desenvolvimento humano e renda.

Segundo ele, também do ponto de vista orçamentário-financeiro, são esperadas melhorias que permitam maiores investimentos e avanços no âmbito do Estado.

As autoridades discutiram acordos de interesse mútuo, e agendas conjuntas, a exemplo da área de segurança.