ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Mutirão contra dengue visita mais de 2 mil imóveis no Taquari

Pelo menos 15 equipes compostas por mais de 100 agentes de endemias estiveram na manhã desta quinta-feira, 8, percorrendo o bairro Taquari, no Segundo Distrito de Rio Branco, para localizar e eliminar focos do mosquito causador da dengue, chikungunya e zika. Trata-se do Mutirão de Combate ao Aedes aegypti, que terá continuidade nesta sexta-feira, 9.

Nos dois dias, os agentes vão visitar todas as casas da localidade com orientações e tratamento larvário, que é a eliminação de larvas em caixas d’água e outros recipientes – e os resultados iniciais são bastante positivos: só nesta quinta-feira, 1º dia do mutirão, mais de 2,3 mil imóveis foram visitados e inspecionados. “O enfrentamento à dengue é uma ação de todos nós, e a Secretaria de Saúde de Rio Branco (SEMSA) trabalha intensamente para manter a dengue, a zika e a chikungunya longe das famílias”, disse José Ferreira Neto, o Lôro, diretor de Endemias e Controle de Vetores da SEMSA.

O secretário de Saúde de Rio Branco, Oteniel Almeida, destaca que essa é uma ação efetiva de combate ao mosquito e o objetivo é a continuidade da redução de casos de dengue na capital, o que vem acontecendo nos últimos cinco anos. “Temos conseguido bons resultados e vamos seguir com as iniciativas que garantem essa redução”, disse Oteniel, relembrando que os casos de dengue foram reduzidos em 73% desde o último mês de janeiro.

O Mutirão de Combate à Dengue é parte do 2º ciclo de visitação em todos os imóveis da capital que a SEMSA realiza quatro vezes ao ano. Esses ciclos têm o objetivo de identificar focos, eliminar larvas, realizar bloqueios químicos e demais ações de controle do Aedes. São feitos dois tipos de visitação: um para o LIRAa, que é o levantamento dos focos do mosquito e é por amostragem, e outro, para os ciclos, com visitas realizadas casa por casa, que são mais demoradas e detalhadas. Através dessas ações é possível dar orientações, aplicar larvicidas e programar outras atividades a partir das informações obtidas por nossos técnicos.

Cerca de 800 Agentes de Endemias, Agentes Comunitários de Saúde e os auditores da Vigilância Sanitária realizam os quatro ciclos anuais percorrendo todos os bairros da capital e alcançando os 182 mil imóveis de Rio Branco.

Moradores recebem agentes com cortesia

A comunidade do Taquari recebe os agentes com cortesia. “Esse trabalho é muito importante para todo mundo”, disse Michele Silva de Almeida, moradora da Travessa Piracicaba.

Esse comportamento tem ajudado sobremaneira nos resultados gerais. Os números do LIRAa também apontam redução na infestação dos imóveis da capital. Segundo o último levantamento, houve redução de 21,77% de infestação predial em Rio Branco, numa comparação com o mesmo período do ano passado. O levantamento foi feito de janeiro a abril pelos Agentes de Endemias, que percorreram 158 mil imóveis da capital, verificando a presença do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Em cinco anos, Rio Branco venceu o grande desafio de reduzir o número de casos de dengue. Em 2010, foram registrados 32.422 mil casos da doença. Já em 2015, o número foi de apenas 397 casos de dengue na capital acreana.

Da Assessoria
Fotos: Assis Lima/Asscom