Irmão de traficante peruano investigado na Operação Palestina é preso no interior do Acre

O irmão de um traficante investigado na Operação Palestina foi preso em flagrante, nesta quinta-feira (11), acusado de tráfico de drogas internacional. A ação aconteceu em parceria entre agentes das polícias Federal e Civil de Santa Rosa do Purus, interior do Acre.

O homem foi surpreendido pelos policiais com uma quantia de cocaína que seria entregue a um morador do município acreano. No último dia 5, uma reunião com as forças de segurança da cidade e representantes do Peru com o objetivo de discutir ações de repressão ao tráfico de drogas na região. Na ocasião, autoridades peruanas se comprometeram em ajudar nas investigações para que os acusados na operação fossem detidos.

O delegado Leandro Ribeiro, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), disse que a droga veio do irmão do acusado que fica na Vila Palestina, no Peru. O traficante tem um mandado de prisão em aberto e que está com difusão vermelha na Interpol.

“Estamos aguardando a parte da cooperação policial internacional para que a polícia cumpra o mandado dele [traficante investigado na operação]. Até o momento, esse mandado não foi cumprido e ele continua praticando o tráfico de drogas. Um usuário [de drogas] de Santa Rosa entrou em contato com esse peruano, fez o pedido da droga por telefone e o irmão dele veio trazer a droga para a cidade. Ele foi preso por policiais federais e civis e autuado em flagrante”, explicou.

O delegado falou ainda que o peruano vai ficar custodiado no Brasil, pois praticou o crime em território brasileiro e deve ser encaminhado para um dos presídios no Brasil. O criminoso deve ser encaminhado para um dos presídios do Acre. Ribeiro contou também que o comprador da droga foi ouvido como testemunha e liberado.

“O flagrante foi feito nos moldes investigados na Operação Palestina. Por enquanto, essa pessoa só foi ouvida como testemunha porque os policiais conseguiram apreender a droga antes de ela ser entregue, então, esse usuário nem estava com a droga. O morador confirmou que fez a ligação para o traficante peruano e que o irmão veio entregar para ele a droga”, complementou.

Ribeiro acrescentou que todos os investigados na operação já foram localizados e afirmou que a Polícia Federal já sabe onde fica a residência deles.

“O problema é que está no território peruano e o mandado até agora não foi cumprido. Eles [autoridades peruanas] justificam mais pela questão da logística, porque aquele local fica muito distante dos grandes centros, então, [polícia peruana] têm que deslocar policiais para irem fazer esse cumprimento e sabemos que é uma diligência onerosa e perigosa”, finalizou o delegado.