ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Exploradores de trabalho escravo no Acre beneficiados pelo BNDES

Levantamento realizado pelo site Investimentos e Direitos na Amazônia, do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) revela que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emprestou, entre os anos 2000 e 2016, quase R$ 90 milhões para empresas e pessoas físicas que integram a Lista Suja do Trabalho Escravo nos estados da Amazônia Legal.

Foto: Reprodução

O Estado do Pará aparece no topo do levantamento, com 27 empréstimos concedidos pelo BNDES no período analisado a integrantes da lista suja, totalizando R$ 45,8 milhões. O Tocantins aparece em seguida, com dez ocorrências e R$ 32,4 milhões.

O levantamento comparou os presentes na lista suja do trabalho escravo com os registrados no site do BNDES. Acre (R$ 2,2 milhões), Mato Grosso (R$ 7 milhões), Maranhão (R$ 921 mil), Rondônia (R$ 638 mil) completam o quadro.

O Observatório Digital do Trabalho Escravo no Brasil foi lançado em maio deste ano pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT). Com informações Diário do Amazonas.