Últimas famílias deixam abrigo em Rio Branco

7mar2015---cerca-de-200-familias-estao-vivendo-provisoriamente-neste-abrigo-montado-no-ginasio-do-sesi-em-rio-branco-elas-estao-sem-poder-morar-em-suas-casas-por-causa-da-cheia-que-atinge-o-estado-1425776798657_956x500

Após mais de 40 dias morando no maior abrigo da capital, instalado no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco durante a cheia histórica do Rio Acre, que atingiu 18,40 metros no dia 4 de março, as últimas 14 famílias deixaram o local. De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Rio Branco, coronel George Santos, algumas das 14 famílias foram levadas para suas casas e outras, que estavam com as residências sem condições de retorno, foram encaminhadas para o Aluguel Social.

Santos diz ainda que as últimas famílias permaneciam no abrigo enquanto todos os procedimentos de vistorias e outros processos estavam sendo resolvidos, de acordo com a demanda e a capacidade da Defesa Civil de resolução.

“O abrigo está em funcionamento desde o dia 22 de fevereiro, quando as primeiras famílias começaram a chegar. O local tinha uma estrutura com capacidade para receber as famílias que ficaram desabrigas pela maior cheia do Rio Acre. O Parque de Exposições foi o maior abrigo da capital, chegando a ficar com 4,5 mil famílias. Agora estamos desmontando o abrigo”, conta o coordenador da Defesa Civil

Fonte: G1