Governo apoia criadores de gado leiteiro com calcário e trabalha para aumento da produção

Com investimentos em tecnologia e técnicas para melhoria da produção, o governo do Estado trabalha para evolução da cadeia produtiva do leite do Acre.

Hoje, 11, o governador Tião Viana e equipe iniciaram a entrega de mil toneladas de calcário, para melhoramento do pasto de 150 criadores de gado leiteiro.

O projeto prevê estratégias de alimentação para as vacas leiteiras, pois no Acre há um período grande de entressafra, quando o pasto fica seco e sem qualidade.

Com o implemento do calcário, serão aplicadas quatro tecnologias básicas: capineira (áreas reservadas para o cultivo de capim com o objetivo de se promover cortes periódicos), pasto intensificado e silagem.

“A bacia leiteira do Acre é uma atividade que ainda pode crescer muito. Estamos colocando mil toneladas de calcário para que possa melhorar o crescimento do pasto, que em uma sequência estimula o aumento da produção de leite e a instalação de indústria de laticínios de maior porte”, afirmou Tião Viana.

O governador declarou também que a expectativa é de que a produção do estado possa sair de uma capacidade de 80 mil litros por dia para até 10 milhões de litros por dia.

A solenidade ocorreu no Parque de Exposições em Rio Branco e teve a presença dos principais produtores da região. Antônio Vieira, que já venceu por alguns anos o concurso de produtor de leite durante a Feira de Exposições Agropecuária do Acre (Expoacre), falou da rentabilidade da atividade e como pode melhorar agora.

“O leite é uma renda que gera mais rápido para o produtor. O laticínio vende semanal ou a cada 15 dias e você não precisa estar vendendo animais. Com o calcário, vem um pasto com mais qualidade e assim podemos melhorar e aumentar a quantidade de leite”, afirmou Vieira. Ele entrega leite regularmente para uma queijaria.

O projeto é realizado em um trabalho conjunto das secretarias de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) e de Agropecuária (Seap). “Queremos potencializar a produção de leite no Acre. Aqui, os produtores já têm uma cadeia organizada e já fornecem para os laticínios. Com as técnicas e conhecimento, vamos apoiar na uniformidade da produção”, explica Fernando Melo, secretário adjunto da Seap.

O investimento nas atividades será de mais de R$ 2 milhões. Os municípios contemplados serão Rio Branco, Acrelândia, Plácido de Castro, Porto Acre, Bujari, Manoel Urbano, Sena Madureira, Brasileia, Xapuri e Epitaciolândia.

“O investimento na cadeia produtiva do leite tem uma importância especial, pois é um produto que vai para a merenda escolar. São vários os derivados que poderão ser consumido e terão mais qualidade a partir de agora”, afirmou o deputado estadual Lourival Marques.

Nas propriedades participantes, há 48% das vacas em lactação, com uma produção média de 4,5 litros, que é acima da média brasileira de 2,3 litros.

Assim, com o trabalho em andamento, a média de receita poderá sair de R$ 4 mil para até R$ 12 mil, com 75% das vacas em lactação nas propriedades.