ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Economista sugere muita cautela na hora de gastar o 13 salário

Com a aproximação do fim do ano, os servidores públicos estaduais e federais, já   começaram a fezer planejamento de como pretendem gastar o 13 salário. Com as incertezas de 2018, os economistas recomendam muita cautela com o salário extra, para que o trabalhador no comece o ano endividado. “O melhor caminho é buscar equilibrar o orçamento”, sugere o consultor econômico, Carlos Franco.

Foto Divulgação

Explica que o primeiro passo, é buscar renegociar as dívidas que estão pendentes na praça. A medida poderá reduzir os juros e multas da dívida existente, pois o consumidor está demonstrando vontade em pagar o débito.

O segundo passo, é poupar o restante dos recursos para o pagamento do IPVA do Veículo, o IPTU do imóvel e as despesas escolares do filhos, com a retomada do ano letivo. “Quem tem filho matriculado em escola particulares ou faculdades não pode esquecer das mensalidades dos primeiros meses de 2018”, observou.

Para o economista, o 13 salário é uma renda extra que se for bem aplicada poderá gerar dividendos econômicos. Destacou que em compras à vista, o consumidor ganha descontos ou brindes das empresas que não venderam todo o estoque do fim de ano. “Se a aquisição do objeto de consumo ficar para o mês seguinte, poderá resultar num desconto a perde de vista”, brincou Franco.

Por enquanto, o governo do estado não sinalizou a data do pagamento do salário extra, mas todos os anos sai as vésperas das festas de fim de ano. As empresas do setor privado devem começar a pagar o benefício, antes do natal, conforme recomenda a legislação trabalhista em vigor.

Cezar Brasil