Ações educativas marcam 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres em Rio Branco

A secretaria adjunta de Mulher (SEMAM) em ação conjunta com a secretaria municipal de Saúde (SEMSA) e parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulher), realizou nesta quarta-feira, nova ação educativa no calçadão da Benjamim Constant.

A abordagem rápida também chamadas “pit stop” prevê a distribuição de material informativo e orientação sobre os direitos da mulher. A ação integra a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. O objetivo é informar sobre a rede de atendimento e serviços disponibilizados às mulheres em situação de violência.

“Com esse intuito, para a realização das abordagens priorizamos locais de maior movimentação, onde há sempre grande fluxo de pessoas”, informou a secretária Adjunta da Mulher, Lidianne Cabral.

Dona Iraci Souza, 74 anos mãe de oito filhos destacou a importância da ação. “Com esse trabalho a gente fica sabendo a estrutura que tem para ajudar uma mulher a sair de uma situação de violência. São informações importantes que vou levar para meus filhos e filhas. Eu nasci no seringal, fui casada com um marido violento, consegui me separar, mas muitas mulheres não tem essa força, precisam de ajuda”, disse.

Para seu Aurismar Reis, o trabalho educativo é necessário. “Fui casado 43 anos, nunca levantei a mão para minha mulher. Sou contra todo tipo de violência principalmente contra a mulher. Hoje o cidadão namora uma mulher e já quer tirar a vida dela. Não pode. Esse é um trabalho importante e necessário”, destacou.

De acordo com a secretária da Mulher, em Rio Branco, o registro do número de casos tem diminuído, “ainda assim, não dá para pensar em baixar a guarda. Sabemos que o enfretamento à violência ainda é um desafio, precisamos nos manter vigilantes”.

16 Dias de Ativismo

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual que envolve poder público e sociedade civil. Lançada em 1991 ganhou adesão mais de 160 países. Mundialmente, a atividades iniciam em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher e encerram no dia 10 de dezembro, Dia internacional dos Direitos Humanos.

No Brasil, a campanha acontece desde o ano de 2003. Para destacar a discriminação contra mulheres negras, a atividades iniciam no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra e encerram no dia 10 de dezembro quando é celebrado o Dia Mundial dos Direitos Humanos.

Em Rio Branco esta campanha foi aberta no dia 20 de novembro. A ações educativas incluem abordagens rápidas, palestras e caminhadas.

Da Assessoria
Fotos: Marcos Vicentti/Asscom