ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

51 ocorrências de queda de árvores são registradas

Temporal na cidade de Rio Branco causa 51 ocorrências de queda de árvores e galhos, no início da noite do último domingo, 10. O Corpo de Bombeiros Militar do Acre atendeu os casos durante a noite de domingo e prosseguiu com os atendimentos na segunda-feira,11.

Foto: Arquivo Prefeitura de Rio Branco

Os bairros mais afetados foram Belo Jardim, Recanto dos Buritis e Santa Inês, de acordo com o major Cláudio Falcão. “A região mais afetada foi a do segundo distrito da cidade, mas ocorrências também ocorreram também em outros locais, como na região da baixada da Sobral”, relata Falcão. Não há o relato de vítimas, apenas danos materiais, segundo o major.

Do total de casos, seis foram de árvores que caíram sobre residências e os demais foram em vias públicas e sobre a rede elétrica. Além de obstruir vias, a queda das árvores causou ainda a falta de energia em diversos bairros. Para solucionar os problemas, o Corpo de Bombeiros trabalho em conjunto com equipes da Eletrobras.

A ocorrência de vendavais no mês de dezembro é um acontecimento atípico, lembra Falcão, no entanto, devido as mudanças climáticas, as tempestades se tornaram algo comum e podem ocorrer durante todo o período chuvoso.

“Setembro e outubro são os meses que os temporais ocorriam com mais frequência, mas as mudanças climáticas possibilitam que estes eventos ocorram durante o mês de dezembro e até janeiro. Dezembro é um mês de chuvas, mas o que se espera são chuvas sem ventanias”, explica o major.

Cláudio Falcão lembra que quaisquer árvores corre o risco de queda, e que por isso as pessoas devem tomar cuidados especiais, ainda mais em períodos de temporais. Não só as arvores mortas, mas até mesmo as mais saldáveis podem ser derrubadas pela força do vento.

Árvores nos quintais das residências são de responsabilidade dos moradores, e o conselho do major é que seja realizado estas sejam cortadas. Primeiro tem que se procurar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) para pedir autorização e a segunda etapa é pagar alguém para fazer a retirada.

O Corpo de Bombeiros só faz a retirada de árvores em situação eminente de queda, como árvores podres. Já nas vias públicas a árvores são de responsabilidade da prefeitura.

Natan Peres