Giro ‘estoura’ reunião de integrantes que tentam instalar nova facção na fronteira

Um trabalho de investigativo após denuncias anônimas, levou homens do Grupo de Grupo de Intervenções Rápida e Ostensiva – GIRO, do 10º Batalhão do Alto Acre, a uma casa localizada no Bairro Beira Rio, invasão dentro do bairro Liberdade, na cidade de Epitaciolândia, onde poderia estar acontecendo reuniões entre bandidos.

Essa casa estaria dando pousada para pessoas ligadas a facções criminosas e foragidos da justiça e que estariam fazendo disparos de arma de fogo no local. Foi quando viaturas foram até a casa e surpreenderam cerca de três indivíduos que, ao avistarem os carros empreenderam fuga para o mato e avisaram os outros.

Um ainda tentou fugir do cerco, mas foi capturado e identificado como Valci Alves de Lima (23), este tem um mandado de prisão em aberto contra sua pessoa, além de ter rompido a tornozeleira e fugiu da Capital para a fronteira e se escondido na casa de sua mãe.

Somente depois, após ser indagado pelos policiais, foi descoberto que teria uma arma, um revolver de fabricação argentina, calibre 32, além de munições que foi encontrada. Em sua defesa, disse que havia adquirido a arma para sua proteção, devido estar sofrendo ameaças por parte de membros de outra facção.

Também foi descoberto pelos policiais, que a ‘reunião’ que foi descoberta, estariam se unindo para instalar uma nova facção na fronteira, conhecida como IFARA (Irmandade Força Ativa do Acre), ou ‘5L’, que seria ramificação do PCC, e que teria como meta, dominar a fronteira para controlar o tráfico de drogas e armas.

Com esse domínio, o contrabando de granadas, fuzis além outras armas de guerra, e drogas, seria criada uma rota por dentro do Acre, uma vez que a fiscalização pelas forças de segurança do Estado está deficitária, o que facilita o aumento de facções na região de fronteira.

Recentemente, uma outra facção tentou se instalar na fronteira, conhecida como “FDN” (Família do Norte), mas foram interceptados pelas autoridades e desfeito o grupo, prendendo e enviando todos para o presídio na Capital.

Valci era considerado foragido da Justiça

Uma das normas dos grupos para mostrar que vem crescendo na localidade, seria a pichação em muros, postes e prédios públicos e privados, que ali está ‘dominado’ pela facção. Os outros suspeitos já foram identificados e poderão ser detidos a qualquer momento. Informações O Alto Acre