Postos de combustível justificam preços ao Procon do Acre

O Acre tem a gasolina e o diesel mais caros do país, o preço médio do primeiro é R$ 4,80 e do segundo R$ 4,10.  Os dados são do último levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), referente ao período de 25 de fevereiro a 3 de março.

Foto: Reprodução

Para esclarecer os valores cobrados no Acre, o Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre (Sindepac), entregou na quarta-feira (8), ao Procon do Acre, um relatório demonstrativo sobre margem de preços praticados pelos revendedores do setor no Estado.

O documento esclarece dúvidas do Procon quanto às margens de preços dos postos de todo país e aponta que não há abuso nas cobranças. De acordo com presidente do Sindepac, Delano Lima, fatores na cadeia de distribuição aumentam significativamente o preço final.

O relatório foi produzido pela Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis). De acordo com o levantamento, a alta carga tributária que incide sobre os combustíveis é um dos fatores que fazem com que os preços cheguem ao consumidor com reajustes significativos.

“São impostos, logística, sazonalidade da demanda, alto custo operacional e a própria crise financeira”, afirma Lima.

A gerente de fiscalização do Procon, Francisca Brito informa que o relatório apresentado pelo Sindepac será analisado com outros documentos para posterior divulgação pelo órgão.

“O relatório apresentado pelo sindicato hoje traz vários esclarecimentos importantes sobre a composição do preço, que vai ajudar o órgão no momento de analisar as documentações que serão requeridas para auxiliar na fiscalização. Isso traz um entendimento maior sobre a questão”, finaliza Francisca. (Com informações da Assessoria)

Natan Peres