ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Estado e municípios podem ficar sem melhorias em ramais

Em pronunciamento na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), nessa terça-feira, 15, o líder do Partido dos Trabalhadores na Aleac, deputado Lourival Marques, revelou sua preocupação com o fato da coordenação da bancada federal ter alocado o contrato de repasse para a Superintendência Federal da Agricultura no Acre (SFA/AC).

Reprodução

“É um órgão do governo federal, mas não tem afinidade nenhuma com relação à construção de ramais no Estado do Acre. Desde que atuo nessa área, nunca foi colocado recurso nessa instituição para poder fazer acompanhamento de obras ou fazer contrato de repasse”, declarou Marques.

O parlamentar destacou que a SFA do Acre não têm equipe técnica qualificada neste ramo para fazer o acompanhamento em ramais, ressaltando que a Superintendência enfatiza suas ações nas atividades relacionadas à defesa vegetal e animal. “Para a fiscalização dos frigoríficos e laticínios que funcionam no Acre e, parte dos funcionários é cedida pelo governo do Acre para pode completar o efetivo”.

Lourival Marques observou que diante desse cenário, o recurso que a bancada federal reuniu, discutiu e, inclusive debateu com os prefeitos, não sairá. “O Estado do Acre, as prefeituras, os municípios e os produtores rurais serão penalizados com a ausência da aplicação desses mais de R$ 90 milhões porque a bancada federal alocou essa verba de maneira equivocada”, afirmou o parlamentar.

O deputado classificou como “irresponsabilidade”, a retirada do Incra desse processo, já que o órgão foi que sempre recebeu os repasses de verbas e tem em seu quadro de servidores profissionais qualificados para acompanhar a aplicação de recursos para melhoramentos e obras em ramais.

“Infelizmente essas coisas acontecem no Acre e vamos ter que passar esse ano sem o apoio dos parlamentares federais para a aplicação desse recurso. As prefeituras não têm condições financeiras para fazer essa recuperação de ramais e o governo do Estado, que sempre auxiliou os municípios, dispõe de poucos recursos e o governo federal vai cruzar os braços”, finalizou

Assessoria