Fake news: poucos casos no Acre, que faz duas auditorias para rebater boatos sobre urna eletrônica

Investigar fake news, que são notícias falsas, ainda é algo complexo para as autoridades acreanas. Apesar da enxurrada diária de publicações que aparecem nesta campanha e  que mais tarde se descobrem mentirosas, a Polícia Federal confirmou neste sábado, 6, véspera das eleições, apenas três denúncias de ilícito eleitoral. “Está relativamente tranquilo”, disse o agente de plantão.

Reprodução

Enquanto isso, no entanto, boatos se espalham como uma praga ao vento dos compartilhamentos nas redes sociais. Fake news de maior contundência, como aquele envolvendo o uso do helicóptero João Donato pelo senador Jorge Viana foi prontamente averiguado, checado e devidamente rechaçado. A verdade era que Jorge Viana não tem esse direito e não se aproveitou de sua condição de irmão do governador para fazer campanha de helicóptero.

Neste domingo foi   instalada a Central de Comando e Controle para o atendimento de ocorrências relacionados com crimes eleitorais como a compra de votos. O atendente da Corregedoria Eleitoral do Acre informou que o esforço é contra fakes relacionadas à urna eletrônica, especialmente as que questionam a segurança do equipamento. “Durante todo este domingo estaremos realizando uma auditagem das urnas para garantir a segurança delas. A auditagem  será auditada por uma empresa contratada pelo Tribunal Superior Eleitoral”, relatou o atendente.

No meio da tarde de domingo,  ao menos uma importante ocorrência foi registrada: o boato dizia que uma pesquisa de boca de urna mostrava Marcus Alexandre na dianteira da  votação. Muita gente espalhou a fake news, que logo se mostrou mais uma mentira eleitoral.