ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Delegacia da 2ª Regional muda para novo prédio na Cidade do Povo

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Polícia Civil, deve inaugurar na próxima semana uma nova delegacia na Cidade do Povo, um espaço amplo e completo para atender as necessidades dos moradores do Segundo Distrito, que representa um investimento de R$ 3 milhões.

Reprodução/google

Com mais esse avanço na área de segurança pública, todos os atendimentos na regional do Segundo Distrito serão concentrados na nova delegacia, ofertando à população um melhor espaço de atendimento, bem como melhores condições de trabalho aos policiais. Dessa forma, os atendimentos realizados na 2ª Regional de Polícia Civil, no Segundo Distrito da capital, serão transferidos para a nova delegacia a partir desta segunda-feira, 17.

A portaria que determina a mudança foi publicada nesta quinta feira, 13, no Diário Oficial do Estado (DOE). Segundo o secretário de Segurança Pública e de Polícia Civil, Carlos Flavio Portela, a decisão visa melhorar o atendimento à população.

“Estamos sempre buscando melhorar o atendimento à população, e essa decisão vem fortalecer o que temos defendido, que é o atendimento de excelência. Desativamos a Delegacia da 2ª Regional, mas não deixamos de atender nas demais delegacias do Segundo Distrito. A menos de 200 metros da 2ª Regional, temos duas delegacias que podem acolher a demanda”, disse Portela.

Em casos específicos, a população pode se dirigir à Divisão de Investigações Criminais (DIC), localizada no bairro Cadeia Velha, que agrega as delegacias de Roubos e Extorsões (DCORE), de Homicídios (DHPP), de Repressão a Entorpecentes (DRE) e de Combate ao Crime Organizado (DECCO).

O secretário enfatiza ainda que a população não será prejudicada com mudança e garantiu que as forças de segurança estarão disponíveis na nova delegacia para garantir a manutenção da ordem e da paz social. “O Estado vai garantir o serviço lá na Cidade do Povo. Além do mais, qualquer delegacia pode receber denúncias ou registrar Boletins de Ocorrência. Existe uma portaria que garante isso”, finaliza.