Gladson assume dando sinais de devassa no governo do PT

Gladson Cameli dá sinais de que revogará medidas adotadas pelo governo de Tião Viana em seus dias finais. Uma devassa, que será feita através de auditoria, já está confirmada pelo governador, cuja posse foi marcada pela emoção e apelos à união e diálogo pelo desenvolvimento do Acre. Algumas ações começam a ser implementadas nesta quarta-feira, 2, a partir das 8h30, quando Gladson Cameli dá posse ao seu secretariado. Na noite desta terça, o governador fez duas nomeações simbólicas -a do chefe da Casa Civil, José Ribamar, e a do chefe do Gabinete Militar, Amarildo Camargo.

Planilhas de pagamentos de categorias como os caçambeiros, entre outros, já estão na mira do novo governo. Medidas administrativas contra servidores também serão devidamente apuradas.

Na Assembleia Lgislativa e no Palácio Rio Branco, Gladson repetiu que pretende ser o governador de todos. “Minha presença aqui é um convite para colaboração de relação de respeito”, disse Gladson após receber declaração de posse proferida pelo presidente da ALEAC, Ney Amorim -e, à multidão de mais de cinco mil pessoas que foram ao Palácio Rio Branco, o novo governador fez mais uma vez referência ao tio, Orleir Cameli, que ocupou o mesmo cargo mais de vinte anos passados. Ao citar Orleir, Gladson reafirmou compromisso com a transparência e o enfrentamento à corrupção. “Meu governo terá tolerância zero com falcatruas”, disse Gladson. A posse foi animada pelo Conservatório Musical do Vale do Juruá, uma experiência bem-sucedida de formação de músicos do 61o BIS e Ministério Público que Gladson deverá apoiar.