ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

novos desdobramentos: prefeito André Maia tinha proteção externa

A operação sarcófago que prendeu o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, em 13 de dezembro do ano passado pode ter mais desdobramentos. Escutas telefônicas apontam que o prefeito recebia “ajuda” do Ministério Público do município.

A Polícia Federal interceptou conversa de uma assessora da promotora de Justiça Eliane Misae, lotada no município, com o controlador da prefeitura, Wellington Soares, preso na operação e apontado como o operador de um esquema que desvio recursos da saúde através de licitações fraudulentas e superfaturamento de preços.

No diálogo, a assessora Alderlene Castro, relata para Wellington, que a Promotora tem a intenção de encerrar uma investigação contra o prefeito por desvio de recursos públicos, o que dá a entender que a Promotora também ajudava André Maia.

 

O sucesso da operação sarcófago só foi possível graças ao presidente da Câmara de vereadores do município, conhecido como Gilson da funerária. O vereador montou um cenário no qual enganou o prefeito com a promessa de parar de fazer denuncias em troca de benefícios financeiros. Gilson fecharia um contrato com o município para serviços funerários, e mesmo que não repassasse um só caixão receberia até R$ 20 mil por mês.

O vereador ainda exigiu o pagamento de R$ 5 mil para acertar as contas com um procurador da Câmara. Na verdade, tudo era uma armação. O controlador Wellington foi filmado entregando a propina para o vereador Gilson.

Um grupo de oposição ao prefeito estuda entrar com um pedido de investigação na Corregedoria do Ministério Público para verificar as ações da promotora e de suas assessoras.
A funcionária flagrada no grampo é irmã de um servidor de cargo de confiança lotado na procuradoria do município, além da irmã, a esposa desse servidor é a secretária da promotora Eliane Misae.
Todas as denúncias e investigações passavam pelas duas funcionárias que poderiam passar tranquilamente as informações para o Prefeito André Maia.
Segundo alguns vereadores, muitas denúncias foram arquivadas sem sequer serem investigadas.