ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Coluna Bom Dia

Difícil

Governador Gladson Cameli foi muito direto ao revelar a difícil situação financeira do Estado. Explicou as limitações financeiras e orçamentárias que enfrenta para equacionar um déficit de R$ 581 milhões deixados pela administração passada.

Sem politicagem

A revelação do total da dívida, pelo governador, não teve o intuito fazer acusações levianas ou politicagem e nem te atacar a gestão passada. Mas Gladson explicou que não poderia deixar de revelar esta situação.

Complicada

O governador disse que a situação é muito mais complicada do que inicialmente imaginava. Ao lado da Secretaria da Fazenda e do chefe da Casa Civil, mostrou os números com que tem que trabalhar

Restos

Só de restos a pagar o governo precisaria desembolsar R$ 91 milhões. Com fornecedores, a dívida é de R$ 234 milhões. É muito dinheiro e é realmente necessário fazer uma auditoria dessas contas.

Empréstimos

A dívida com empréstimos contraídos ao longo dos últimos 20 anos é estimada em R$ 5,2 bilhões. Só em dezembro, o estado desembolsou, de juros por atraso de parcelas, R$ 1 milhão e 200 mil para bancos e instituições credoras.

Calamidade

Mesmo assim, Gladson descartou a possibilidade de decretar calamidade Financeira no estado, pois isso poderia atrapalhar ainda mais as negociações e engessar o orçamento do Estado.

Contratações

Sem contar que com a calamidade, estaria proibida a contratação de pessoas até por concurso público.

Repasses

Mesmo assim, o governador determinou austeridade absoluta nas finanças estaduais e o repasse apenas do duodécimo para os poderes. Para ele, os ajustes serão necessários em toda a estrutura de poderes e instituições do Estado.

Pedido

Gladson relatou que um poder havia pedido um repasse extra da ordem de 15 milhões, mas disse que foi impossível atender. O cinto está no último furo.

Reunião

Essa situação financeira difícil será levada pelo Governador para a reunião no dia 19, em Brasília. O Acre, como outros estados, quer ter algumas facilidades e algumas propostas para sair dessa terrível crise financeira.

Alongamento

Por exemplo,  o governo quer parcelas de valor menor, mais prazo e mais carência para cumprir suas obrigações. Em contrapartida, oferece apoio às reformas modernizantes que o governo federal pretende implantar.

Funcionalismo

Gladson não faz parte do grupo de nove governadores que foi propor à área econômica do governo federal que estudasse medidas que permitissem redução do salário de funcionários. Pelo menos dessa situação os servidores acreanos estão livres.

Tribunal

Gladson ainda aposta que conseguirá reverter no STF a decisão que não acatou o pleito acreano de receber mais de R$ 400 milhões relativos à contenção de Repasses do FPE. Para o governador, esse não é um caso perdido.

Antes e agora

O governo do PT tentou de todas as formas a liberação desse dinheiro e não conseguiu, com o STF negando a liminar pedida. Vamos ver se Gladson tem  mais sorte ou mais articulação.

Pensões

O governador continua decidido a rever o pagamento de pensões para ex-governadores e suas viúvas. Pediu um parecer jurídico à Procuradoria Geral do Estado, para embasar seus propósitos. A Batalha será grande.

Isolamento

O Acre está isolado do resto do país, pela queda de uma ponte próximo a Porto Velho. É sempre assim. O Acre é quem paga o pato pelas irresponsabilidades que acontecem fora de seu território.

Ponte

Uma boa notícia. O governo federal prometeu que a ponte do Abunã ficará inteiramente pronta antes do fim do ano. Espera-se que seja o prazo máximo. Essa conversa de ponte pronta no fim do ano já dura quase uma década.

Balsa

Um assunto importante. A balsa hospital entregue pelo Governo do Acre à Marinha do Brasil, está com prazo final no comodato vencendo. Ela foi cedida por 20 anos, mas ainda faz parte do património do Estado. O governador já sinalizou o desejo de ter novamente o hospital, mas esse desejo esbarra nos custos de manutenção da Balsa.

Alagação

Tudo indica que este ano haverá uma cheia grande em todo o estado. Cruzeiro do Sul está em estado de emergência e na capital as famílias também começam a abandonar suas casas. A situação é preocupante.

Solidariedade

O deputado e médico Jenilson Leite, vice-presidente Assembleia vai viajar até Brumadinho, em Minas Gerais, para ajudar no necessário e fundamental trabalho médico junto às vítimas do terrível acidente com a barragem da Vale do Rio Doce. Parabéns ao deputado, por esse gesto humanitário.

Aeroporto

O aeroporto de Rio Branco está listado para ser privatizado pelo governo federal. Espera-se que melhor sorte nas mãos da iniciativa privada

Escuridão

Mas de nada adiantará privatizar o aeroporto, se a estrada de acesso permanecer na escuridão. Alguém tem que tomar alguma medida a respeito.

Caravana

Uma caravana de empresários de Rondônia deve vir ao Acre participar de dia de Campo sobre café e prospectar negócios relacionados à cultura da soja. O governador espera muito as propostas de investimento no agronegócio.

Luz

Os deputados acreanos começam, enfim, a se mobilizarem contra o aumento da energia elétrica. Ontem, na Assembleia, o deputado Jenilson Leite fez um pronunciamento contra o aumento das tarifas da Eletroacre privatizada

Fevereiro

Rio Acre na tampa – de novo -,  Juruá deixando quatro mil atingidos na região. Acre isolado do resto do país via terrestre por conta da ruptura na BR-364. E esse é apenas um breve resumo da primeira semana de fevereiro.

Limpeza

Bombeiros tiveram trabalho ontem para limpar os balseiros da ponte metálica. O volume que acumulou era alto e o risco por conta da velocidade da água não permite que fiquem ali muito tempo sem que se corram riscos.

Água

A expectativa das autoridades municipais é de que tanta água passando pelos pontes da capital é só reflexo das chuvas da semana passada e que as coisas melhorem a partir de sábado.

Tempo

Mas essa mudança depende do clima. Se as chuvas cessarem hoje a probabilidade de enchente diminui, mas se aumentar, aí fica difícil. Porque na capital já está quase na cota de alerta.

Juruá

Já em Cruzeiro do Sul não há perspectiva de melhora, pois as chuvas são diárias e hoje a previsão era de tempestade em toda a região. O governador Gladson Cameli visitou as áreas atingidas na quarta-feira.

States

Enquanto isso, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro está nos Estados Unidos. Viajou à terra do Tio Sam para participar de um café anual de oração ao lado do presidente Donald Trump. Com Cruzeiro do Sul debaixo d’água. Só mesmo muita oração.

Pago

O pior de tudo é que o prefeito tem sua viagem pendurada em grande parte nos cofres do estado. Como se fosse sua obrigação orar nos Estados Unidos.

Debate

Os deputados estaduais chegaram cheios do gás na Assembleia Legislativa. Os debates estão animados nessa primeira semana de trabalho. Vamos aguardar para saber quanto tempo dura.

Só piora

E a situação em Manuel Urbano continua crítica. Ontem a prefeitura amanheceu toda pichada e com algumas ameaças veladas ao prefeito Tanizio Sá.

Drama

O governador Gladson Cameli precisa ter um olhar mais humanizado para os servidores da Rádio Difusora que estão sendo demitidos na capital e no interior.

Dedicados

São servidores que dedicaram toda uma vida à Rádio, sempre com baixos salários e pouca atenção dos governos que passaram pelo Palácio Rio Branco. Não merecem serem demitidos só por causa da letra fria da lei.

Humanidade

São homens e algumas mulheres que servem ao Estado com amor e dedicação, que sempre atenderam a políticos de todos os matizes sem distinção, que amam o que fazem e que não tem outras possibilidades no mercado. A coluna espera que o governador se pronuncie sobre o caso o mais breve possível. E que encontre a melhor solução.