ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Acirrada a disputa pela indicação de nomes para presidir as comissões

Os deputados progressistas buscam abocanhar as comissões mais estratégicas da Assembleia Legislativa do Estado do Acre, mas, para isso, precisará do apoio da base aliada do Palácio Rio Branco.

Os nomes dos deputados José Bestene (Progressista) e Gehlen Diniz (Progressista), despontam como favoritos para ocupar as Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento e Finanças (COF).

O líder medebista Roberto Duarte (MDB), incluindo o deputado pedetista Luís Tchê (PDT), também se articulam nos bastidores da Casa para viabilizar as suas candidaturas.

“Estamos trabalhando para contar com representantes em todas as Comissões, pois na gestão passada não tivemos espaço para ocupar nenhuma presidência do Comissão”, comentou Diniz que manifesta interesse na CCJ.

A sessão chegou a ser suspensa temporariamente no dia de ontem, para que os parlamentares sentassem para discutir os nomes que irão presidir 12 Comissões Permanentes na Casa.

Apesar de contar com a minoria, o deputado comunista Edvaldo Magalhães (PCdoB) admitiu para a imprensa que a oposição mantém tratativas com outros partidos que fazem parte da base de sustentação do governo.

O grupo político trabalha com dois cenários, mas o deputado evita dar detalhes para não atrasar as negociações em curso nos bastidores da Casa.

Com os ânimos acirrados, o deputado Nicolau Júnior (Progressista), presidente da Mesa Diretora, sinalizou que a composição levará em conta os blocos com assentos na Casa, mas a base aliada não abre mão de indicação dos nomes que presidirão as comissões.

“Desde a época de oposição, sempre entendemos, que quem deve presidir as Comissões na Aleac são os candidatos do governo porque têm a maioria”, declarou o presidente.

Disputa – Até as legislaturas passadas, o líder do governo que assumia a CCJ, mas no último ano do governo Tião Viana, oposição e parte da situação, escolheu o ex-deputado pedetista Heitor Júnior (PDT).

O MDB e Progressista contam com as maiores bancadas, pois cada legenda elegeram três deputados, seguido do PSDB, PT, PCdoB  e PSDB com dois deputados. Já o DEM, PSB, PTB, PROS, SD, PR, PDT E PSL, com apenas um parlamentar, conforme as forças políticas com assento na Casa.

O bloco Progressista e PSDB contam com cinco votos, enquanto o PC do B, com o PT quatro votos, que em tese garante assento em cargos estratégicos das Comissões.  Como a Aleac conta com as seguintes comissões permanentes: Constituição, Justiça e Redação; de Orçamento e Finanças; de Legislação Agrária, Fomento, Agropecuária, Indústria e Comércio, Ciências e Tecnologia e Meio Ambiente; de Educação, Cultura e Desporto; de Obras Públicas, Transporte e Comunicação; de Serviço Público, Trabalho, Segurança Pública e Municipalismo; de Direitos Humanos e Cidadania; Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor; Comissão de Legislação Participativa; Comissão de Saúde Pública e Assistência Social; e Comissão da Criança, do Adolescente, do Idoso de Combate a Pedofilia e a Comissão de Segurança Pública e Combate a Violência e Narcotráfico, o diálogo deve prevalecer na sessão de hoje, para que possam sacramentar os nomes que serão indicados pelos líderes para assumir postos chaves.

 

Cezar Negreiros