ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Coluna Bom Dia

Futuro

Vale a pena ler a entrevista do Secretário de Estado de Planejamento, Raphael Bastos, nas páginas centrais da edição de hoje. Mostra uma visão de Estado e de futuro que merece ser acompanhada.

Investimento

Raphael Bastos lidera no Governo do Estado um grupo que tem defendido o investimento não apenas no setor produtivo, mas também na área de obras, não só para dar visibilidade às ações, mas notadamente garantir mais qualidade de vida ao cidadão.

Conservadores

Há na gestão de Gladson Cameli um grupo conservador que discorda dessa perspectiva e entende que diante da crise financeira que o Estado enfrenta, há que se fechar todas as portas de investimento em obras para garantir, em essência, o pagamento de pessoal.

Geração

Já um outro grupo, do qual Bastos faz parte, defende exatamente o contrário, sem nenhum momento descuidar do pagamento do servidor e dos fornecedores.

Renda

Basicamente o entendimento é de que dinheiro guardado é dinheiro que perde valor. Já dinheiro investido retorna para o Estado, não só como imposto, mas também com geração de emprego e renda na iniciativa privada, desafogando a estrutura estatal.

Afinidade

A perspectiva desse grupo tem conseguido a anuência do governador Gladson Cameli, mas enfrenta oposição no grupo conservador. Não se trata de guerra de poder, mas visão de mercado.

Mercado

Falando em mercado, está passando da hora de a equipe econômica do Estado reunir-se com o setor empresarial, ouvir suas demandas e juntos buscarem soluções para a paralisação da economia local.

Beneficiado

A máquina estatal já não aguenta mais sustentar toda a economia acreana. Mas sem investimentos e, principalmente, políticas públicas de apoio à iniciativa privada, a vida do acreano não melhora. Exceto, claro, de uma pequena casta de privilegiados.

Posição

Entre as posições do secretário Raphael Bastos, destaca-se a necessidade de elaborar um plano emergencial de obras de Infraestrutura, que proporcione, de imediato, a geração de renda e emprego e que facilite o escoamento da produção do agronegócio. Cita como exemplo a conclusão do anel viário de Rio Branco, impedindo que caminhões com produção trafeguem pelo centro da cidade.

Movimentação

Obra pública é sinal de empregos, geração de riqueza, giro na economia. E traz benefícios permanentes para a população. Essa é a visão do secretário e com ela concordam os empresários do Acre, que querem uma interlocução com o governo para expor suas ideias. Não no sentido de contrapor ou de mostrar oposição, mas no sentido de somar e de levar adiante o progresso tão ansiado do Estado.

Desburocratização

Em sua entrevista nesta edição do jornal, Raphael Bastos admitiu que o Estado precisa desburocratizar a máquina pública, tornar os processos mais ágeis, ao mesmo tempo em que fomenta a parceria com as entidades de financiamento e fomentadores. “Isso tem que tornar fácil o acesso a quem pretende empreender em nosso Estado”.

Pé no chão

Claro que o secretário advoga o governo pé no chão, sem ostentação e, por isso, acredita no redirecionamento dos empréstimos dos bancos mundiais oferecidos para o Estado. Ele explica que, em sua maioria, esses empréstimos tinham a visão e objetivos que eram os do governo passado, não deste.

Escolha

Para o secretário, a população acreana, ao escolher seu caminho, diferente do anterior, deu legitimidade para que o governo renegocie o objeto e a aplicação dos recursos nas áreas que julga de maior importância e necessidade. É uma posição absolutamente certa e coerente.

Tem sentido

Realmente, não tem sentido um governo eleito em oposição ao que governou o Acre por 20 anos, submeter-se uma agenda de financiamentos que visa uma economia que já não é sua prioridade. Esse entendimento é fundamental e o secretário é uma voz abalizada para apoiar o Governo do Estado nesse sentido.

Sem briga

É preciso enfatizar que as propostas dos dois grupos que convivem dentro do governo não são e não precisam ser antagônicas. É uma questão de prioridades e do que a economia precisa para deslanchar. A ideia de que é preciso que o bolo cresça antes da divisão pode fazer desandar a receita. O ideal é conciliar as duas propostas.

Névoa

Uma névoa forte sobre a cidade impediu o pouso da aeronave que trazia o governador Gladson Cameli, na sexta-feira à noite e o voo foi desviado para Manaus. O governador deve viajar hoje para Brasília e, de amanhã até quarta-feira, tem uma agenda na Capital com os secretários de Saúde, Casa Civil, Administração e Segurança Pública.

Agenda

Na agenda das reuniões, a questão da possível terceirização de atividades da Saúde no Estado, uma história que se prolonga e que, finalmente, está sendo vista como uma prioridade inadiável.

Experiências

O secretário Alysson Bestene vai conhecer as experiências de terceirização e privatização realizadas no Distrito Federal e em outros estados para buscar a melhor alternativa para o Acre. Vamos ver.

Ajuda

O governador ainda tenta conseguir recursos urgentes para o Estado, embora esteja cada dia mais claro que volume grande de recursos só pode ser esperado após a votação da Reforma da Previdência. O Governo Federal está com escorpião no bolso.

Vitória

O Acre pode comemorar pelo menos uma vitória do governador Gladson Cameli. Está confirmado o voo diário da Gol para Rio Branco e Cruzeiro do Sul, saindo de Brasília às 9 horas e 35 minutos, chegando às 11:30 em Rio Branco e a uma hora da tarde em Cruzeiro do Sul. De lá, ele volta, passa na Capital e chega a Brasília às 19 horas.

ICMS

O acordo foi possível porque, sensibilizado, o governador Gladson Cameli reduziu a cobrança de ICMS. Foi por uma boa causa.

Problemas

O Governo do Estado deve enfrentar problemas com duas categorias, próximos dias. Os servidores do Detran ameaçam parar por questões salariais.

Agentes

Outro problema que parece não ter solução, entra governo e sai governo, é o dos agentes penitenciários, que mais uma vez ameaçam movimentação e paralisação. Não adiantou nada a nomeação do presidente do sindicato da categoria para gerir o sistema. Parece que a vontade dos agentes penitenciários não tem limite.

Convenção

O MDB faz convenção ainda este mês para a renovação de seu diretório estadual. Há poucas dúvidas de que o deputado Flaviano Melo continue no cargo. É uma das poucas unanimidades no partido.

Boquinha

Mas a deputada Jéssica Sales, mesmo reconhecendo a liderança de Flaviano, quer disputar a vice e mais um lugar garantido para seu pai, o ex-prefeito Vagner Sales.

Alas

Como o MDB acreano tem mais aulas que muita escolas samba, não se sabe o que o partido deve decidir. Cada um atira para um lado na legenda.

Com tudo

O Acre parece estar na moda. Depois de Fábio Assunção, quem veio para cura espiritual em uma aldeia de Feijó e prometeu voltar para o processo de desintoxicação, outro Global, elogiou o Acre.

Jornalista

Trata-se da jornalista Glória Maria, que no programa da Tatá Werneck teceu grandes elogios ao Acre, disse que é um dos Estados do país que ela melhor conhece e que sempre é bem tratada e gosta muito do Estado. Depois falam do Acre. É pequeno, mas enjoado.

Laudo

Sai segunda-feira o laudo da vistoria dos bombeiros no incêndio que atingiu lojas no calçadão. A prefeita Socorro Neri quer um mutirão de ações da prefeitura, Governo do Estado e comerciantes para buscar uma solução.

Prejuízos

O prejuízo passa dos R$ 5 milhões, sem contar com os cerca de 150 empregos em risco. Algo tem que ser feito.