Coluna Bom Dia

Prefeitos

Dizem que dia de muito é véspera de nada. Os prefeitos acreanos estão comemorando uma verdadeira piracema de recursos do FPM, que veio bem gordo na primeira parcela deste mês, depositada ontem. Mas a festa tem data para acabar.

Queda

Tradicionalmente, a partir de abril até pelo menos depois do meio do ano, os repasses costumam cair, só aumentando quando entram os recursos do Imposto de Renda já contabilizados. Ainda assim, as prefeituras pouco têm a reclamar, só exigindo que tratem com respeito o dinheiro recebido e o apliquem nas reais necessidades da população.

Exemplo

Por exemplo, situação interessante ocorre na Prefeitura de Sena Madureira. Só a primeira parcela do FPM somou R$ 811.648,07. Seria mais do que razão para comemorar, mas, infelizmente não foi isso o que aconteceu.

Débito

Acontece que a prefeitura havia deixado de pagar débitos federais relativos ao mês de fevereiro e sofreu um desconto de R$ 794 mil. Ou seja, sobrou pouco mais de R$ 15 mil na conta da prefeitura, no maior repasse de FPM do ano.

Empáfia

Mesmo assim, o prefeito Mazinho Serafim não dá o braço a torcer. Anunciou a inauguração de um posto de saúde que, diz, foi construído sem recursos do Governo Federal, e também sem verba do Governo Estadual. Como, ninguém entende.

Verba

O ministro Paulo Guedes está anunciando que enviará projeto ao Congresso propondo a total desvinculação do orçamento da União e, por conseguinte, dos estados e municípios. Isso significa que pode cair a obrigatoriedade de se destinar percentual fixo para rubricas como Saúde e Educação, ficando a definição por conta do Congresso Nacional.

Dois gumes

A proposta é uma faca de dois gumes. Por um lado, tira o engessamento do Estado e permite mais recursos para investimentos e ações em áreas específicas. Por outro, pode prejudicar, no Governo Federal, estadual e municipal as verbas de serem aplicadas em atividades básicas.

Pano para manga

Seja como for, o projeto deve dar pano para manga. Muita discussão será necessária antes da aprovação. Os governadores, em sua maioria, são a favor.

Pneumonia

O governador Gladson Cameli sentiu-se mal no final de semana e foi diagnosticado ontem com um princípio de pneumonia. Está devidamente medicado e não quis abrir mão de sua agenda de encontros em Brasília. Mesmo assim, recebe acompanhamento médico.

Garganta

O governador teve forte dor de garganta no sábado, pensou que fosse inflamação das amígdalas, sofreu uma piora, até chegando a pensar em dengue, mas o diagnóstico foi início de pneumonia, doença que exige repouso e cuidados.

Tempo

Indagado por um amigo sobre a necessidade de cuidar da saúde, Gladson disse que estava cuidando, mas não pode se dar ao luxo de continuar em repouso diante da gravidade da situação do Estado.

Repercussão

Foi muito comentada a entrevista do secretário da Raphael Bastos n’A TRIBUNA de domingo. Diferentes setores do governo e até da oposição elogiaram a postura propositiva e desenvolvimentista do secretário, que está participando de um encontro em Lima, no Peru.

Obra

Os empresários acreanos ficaram especialmente animados com a proposta de um pacote de obras de infraestrutura a ser anunciado nos próximos meses, sinônimo de geração de renda e empregos, de movimentação da economia.

Sem crise

A entrevista do secretário serviu também para mostrar que não é necessária uma crise política no governo por opiniões divergentes. É possível e desejável buscar um consenso, sob a liderança firme do governador Gladson Cameli.

Destaque

Seja como for, o secretário Raphael Bastos se credenciou como uma voz abalizada dentro do governo, um interlocutor que pode ser de confiança. É preparado técnica e politicamente.

Incerta

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, começou a fazer visitas inesperadas e incertas às unidades de saúde da Capital para verificar as condições de atendimento. Encontrou várias situações que precisam ser melhoradas e racionalizadas.

Presos

A Vara de Execuções Penais, cumprindo estritamente o que diz a lei, autorizou alguns direitos de presos que estavam sendo proibidos. Tem gente que pode ser contra, mas é por desconhecer a lei. Proibir presos de fumar é claramente inconstitucional e não vai mudar nada, a não ser aliviar um pouco o clima na cadeia.

Antes disso

Aliás, antes de permitir o uso do tabaco do que se preocupar com a entrada de maconha e crack, que a cada vistoria são encontrados na cela. Também o uso de ventilador é um direito. Eles estão condenados à prisão, não ao inferno.

Preocupação

Em vez de se preocupar com esses direitos e mínimos dados aos presos, é preciso estar atento às condições de segurança em Rondônia, onde se concentram os bandidos mais perigosos do país, a 500 Km da fronteira acreana. Este é o verdadeiro problema. Lá, existem celas individuais, banho de sol diário e os líderes criminosos estão bem próximos de suas gangues e facções.

Caixa

A Prefeitura de Rio Branco está fazendo caixa para iniciar, assim que o verão se firmar, operação tapa-buraco cidade. O organograma é audacioso e a prefeita quer resgatar a prefeitura das críticas que vem sofrendo. Vamos ver.

Vacina

O vereador e médico Eduardo Farias conclama as famílias a levarem os filhos para a vacina contra a gripe, que protege do temível vírus H1N1. O médico chama a atenção de que na hora da aplicação da vacina deve constar no frasco a indicação CEPAS 2019, comprovando que a vacina foi feita para os vírus em circulação este ano.

No Acre

O PSL está tentando trazer no próximo mês o presidente Bolsonaro ao Acre. Ele tem agenda marcada no dia 9 de abril em Manaus. De lá, os políticos acreanos querem que ele venha ao Estado.

Pauta

Em Rondônia, a produção de carne e soja representa 79% de tudo o que o Estado produz e 73% do que é exportado.

Cálculo

Nesse cálculo, a carne entra com 53% da pauta e a soja representa 26% em volume de produção, embora seja responsável por 60% do valor arrecadado. Esses números são uma miragem para os produtores acreanos.

Miss

Não foi dessa vez que a miss Acre alcançou o sucesso no Miss Brasil. Apesar da beleza da candidata, não passou da primeira fase, em evento que foi vencido pela representante de Minas Gerais, uma jornalista especializada em redes sociais.

De todos

As manifestações populares e, principalmente as altas contas de luz de fevereiro parecem que finalmente despertaram os políticos sobre a gravidade do aumento que a Aneel concedeu à Energisa.

Reunião

Ontem um grupo de parlamentares estaduais e federais estiveram na sede da Aneel exigindo a revisão na tarifa no Acre. Fizeram discursos, posaram para fotos, mas de prático mesmo só a garantir de uma avaliação da situação.

Legislação

O fato é que o aumento, abusivo e absurdo tem amparo legal e foi aprovado pelos parlamentares. É quase impossível que a Aneel revogue o aumento de 21% nas contas de energia no Acre.

Galera

Mas os políticos, cientes de como a causa tem apelo popular, seguirão dizendo que exigem a redução da tarifa. Até que venha o novo aumento em dezembro.

De volta

Acabou o Carnaval e o ano começou. Como diz o governador Gladson Cameli, tá na hora de acabar com o blá blá blá e o mimimi. É hora de arregaçar as mangas e trabalhar.

Cerco eletrônico

As equipes do sistema de Segurança começam a ser treinadas para trabalhar com o cerco eletrônico da cidade de Rio Branco, que visa combater a criminalidade e as facções.

Prefeitos

Dizem que dia de muito é véspera de nada. Os prefeitos acreanos estão comemorando uma verdadeira piracema de recursos do FPM, que veio bem gordo na primeira parcela deste mês, depositada ontem. Mas a festa tem data para acabar.

Queda

Tradicionalmente, a partir de abril até pelo menos depois do meio do ano, os repasses costumam cair, só aumentando quando entram os recursos do Imposto de Renda já contabilizados. Ainda assim, as prefeituras pouco têm a reclamar, só exigindo que tratem com respeito o dinheiro recebido e o apliquem nas reais necessidades da população.

Exemplo

Por exemplo, situação interessante ocorre na Prefeitura de Sena Madureira. Só a primeira parcela do FPM somou R$ 811.648,07. Seria mais do que razão para comemorar, mas, infelizmente não foi isso o que aconteceu.

Débito

Acontece que a prefeitura havia deixado de pagar débitos federais relativos ao mês de fevereiro e sofreu um desconto de R$ 794 mil. Ou seja, sobrou pouco mais de R$ 15 mil na conta da prefeitura, no maior repasse de FPM do ano.

Empáfia

Mesmo assim, o prefeito Mazinho Serafim não dá o braço a torcer. Anunciou a inauguração de um posto de saúde que, diz, foi construído sem recursos do Governo Federal, e também sem verba do Governo Estadual. Como, ninguém entende.

Verba

O ministro Paulo Guedes está anunciando que enviará projeto ao Congresso propondo a total desvinculação do orçamento da União e, por conseguinte, dos estados e municípios. Isso significa que pode cair a obrigatoriedade de se destinar percentual fixo para rubricas como Saúde e Educação, ficando a definição por conta do Congresso Nacional.

Dois gumes

A proposta é uma faca de dois gumes. Por um lado, tira o engessamento do Estado e permite mais recursos para investimentos e ações em áreas específicas. Por outro, pode prejudicar, no Governo Federal, estadual e municipal as verbas de serem aplicadas em atividades básicas.

Pano para manga

Seja como for, o projeto deve dar pano para manga. Muita discussão será necessária antes da aprovação. Os governadores, em sua maioria, são a favor.

Pneumonia

O governador Gladson Cameli sentiu-se mal no final de semana e foi diagnosticado ontem com um princípio de pneumonia. Está devidamente medicado e não quis abrir mão de sua agenda de encontros em Brasília. Mesmo assim, recebe acompanhamento médico.

Garganta

O governador teve forte dor de garganta no sábado, pensou que fosse inflamação das amígdalas, sofreu uma piora, até chegando a pensar em dengue, mas o diagnóstico foi início de pneumonia, doença que exige repouso e cuidados.

Tempo

Indagado por um amigo sobre a necessidade de cuidar da saúde, Gladson disse que estava cuidando, mas não pode se dar ao luxo de continuar em repouso diante da gravidade da situação do Estado.

Repercussão

Foi muito comentada a entrevista do secretário da Raphael Bastos n’A TRIBUNA de domingo. Diferentes setores do governo e até da oposição elogiaram a postura propositiva e desenvolvimentista do secretário, que está participando de um encontro em Lima, no Peru.

Obra

Os empresários acreanos ficaram especialmente animados com a proposta de um pacote de obras de infraestrutura a ser anunciado nos próximos meses, sinônimo de geração de renda e empregos, de movimentação da economia.

Sem crise

A entrevista do secretário serviu também para mostrar que não é necessária uma crise política no governo por opiniões divergentes. É possível e desejável buscar um consenso, sob a liderança firme do governador Gladson Cameli.

Destaque

Seja como for, o secretário Raphael Bastos se credenciou como uma voz abalizada dentro do governo, um interlocutor que pode ser de confiança. É preparado técnica e politicamente.

Incerta

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, começou a fazer visitas inesperadas e incertas às unidades de saúde da Capital para verificar as condições de atendimento. Encontrou várias situações que precisam ser melhoradas e racionalizadas.

Presos

A Vara de Execuções Penais, cumprindo estritamente o que diz a lei, autorizou alguns direitos de presos que estavam sendo proibidos. Tem gente que pode ser contra, mas é por desconhecer a lei. Proibir presos de fumar é claramente inconstitucional e não vai mudar nada, a não ser aliviar um pouco o clima na cadeia.

Antes disso

Aliás, antes de permitir o uso do tabaco do que se preocupar com a entrada de maconha e crack, que a cada vistoria são encontrados na cela. Também o uso de ventilador é um direito. Eles estão condenados à prisão, não ao inferno.

Preocupação

Em vez de se preocupar com esses direitos e mínimos dados aos presos, é preciso estar atento às condições de segurança em Rondônia, onde se concentram os bandidos mais perigosos do país, a 500 Km da fronteira acreana. Este é o verdadeiro problema. Lá, existem celas individuais, banho de sol diário e os líderes criminosos estão bem próximos de suas gangues e facções.

Caixa

A Prefeitura de Rio Branco está fazendo caixa para iniciar, assim que o verão se firmar, operação tapa-buraco cidade. O organograma é audacioso e a prefeita quer resgatar a prefeitura das críticas que vem sofrendo. Vamos ver.

Vacina

O vereador e médico Eduardo Farias conclama as famílias a levarem os filhos para a vacina contra a gripe, que protege do temível vírus H1N1. O médico chama a atenção de que na hora da aplicação da vacina deve constar no frasco a indicação CEPAS 2019, comprovando que a vacina foi feita para os vírus em circulação este ano.

No Acre

O PSL está tentando trazer no próximo mês o presidente Bolsonaro ao Acre. Ele tem agenda marcada no dia 9 de abril em Manaus. De lá, os políticos acreanos querem que ele venha ao Estado.

Pauta

Em Rondônia, a produção de carne e soja representa 79% de tudo o que o Estado produz e 73% do que é exportado.

Cálculo

Nesse cálculo, a carne entra com 53% da pauta e a soja representa 26% em volume de produção, embora seja responsável por 60% do valor arrecadado. Esses números são uma miragem para os produtores acreanos.

Miss

Não foi dessa vez que a miss Acre alcançou o sucesso no Miss Brasil. Apesar da beleza da candidata, não passou da primeira fase, em evento que foi vencido pela representante de Minas Gerais, uma jornalista especializada em redes sociais.

De todos

As manifestações populares e, principalmente as altas contas de luz de fevereiro parecem que finalmente despertaram os políticos sobre a gravidade do aumento que a Aneel concedeu à Energisa.

Reunião

Ontem um grupo de parlamentares estaduais e federais estiveram na sede da Aneel exigindo a revisão na tarifa no Acre. Fizeram discursos, posaram para fotos, mas de prático mesmo só a garantir de uma avaliação da situação.

Legislação

O fato é que o aumento, abusivo e absurdo tem amparo legal e foi aprovado pelos parlamentares. É quase impossível que a Aneel revogue o aumento de 21% nas contas de energia no Acre.

Galera

Mas os políticos, cientes de como a causa tem apelo popular, seguirão dizendo que exigem a redução da tarifa. Até que venha o novo aumento em dezembro.

De volta

Acabou o Carnaval e o ano começou. Como diz o governador Gladson Cameli, tá na hora de acabar com o blá blá blá e o mimimi. É hora de arregaçar as mangas e trabalhar.

Cerco eletrônico

As equipes do sistema de Segurança começam a ser treinadas para trabalhar com o cerco eletrônico da cidade de Rio Branco, que visa combater a criminalidade e as facções.