Gladson manteve agenda de trabalho em casa e retorna ao gabinete nesta segunda-feira

O governador Gladson Cameli está despachando sua agenda de trabalhos em casa, por estritas recomendações médicas, recuperando-se de uma pneumonia. Mas segunda-feira deve retomar o trabalho em seu gabinete e em eventos da capital, com uma série de reuniões, visitas, audiências e contatos, que começarão logo às 7 horas da manhã, com a solenidade de abertura do ano escolar, na escola Pe, Diogo Feijó, no conjunto Mascarenhas de Morais.

Reprodução

Essa agenda de trabalho tem compromissos até às 20 horas e o governador pretende cumpri-la de modo integral. Gladson recebeu sábado pela manhã equipe de A TRIBUNA e disse estar inquieto e com vontade de retomar a plenitude de suas ações de imediato. Seu temperamento é avesso ao recolhimento, mas ele está atendendo a ordens médicas que, diz com satisfação deverão ter as últimas limitações e que serão suspensas na segunda-feira.

Mas nem esse período em casa diminuiu o ritmo de trabalho do governador. Ele continuou despachando assuntos administrativos com seus assessores e se inteirando de todas as ações no estado, tomando decisões importantes.

Por exemplo, autorizou a contratação imediata de 15 médicos veterinários para o IDAF, afastando qualquer problema com a fiscalização da carne abatida no estado e o perigo do desabastecimento interno, com a eventual parada dos abatedouros.

O governador também anunciou a substituição da função de seu porta-voz, saindo o jornalista Rogério Venceslau e entrando a jornalista Mirla Miranda, da TV Acre. Gladson tomou todas a  decisões e determinou as mudanças na Assessoria de Comunicação.

O governador deve anunciar nos próximos dias uma série de ações de gestão com impacto significativo nos rumos de seu governo. A ideia é tornar mais simples e objetivos os métodos e critérios de tomada de decisões e também de facilitar a vida da população a e atender algumas reivindicações, que agora serão possíveis, graças às medidas tomadas no início do governo.

Gladson deve receber, ainda, uma comissão de empresários e de líderes em vários setores ligados às atividades econômicas, para o debate de uma agenda comum. O governador está muito entusiasmado e diz que está certo de estar fazendo o mais correto e o melhor para o estado.

Reivindicou maior apoio do governo federal, mas disse que sua última viagem a Brasília trouxe esperanças de que recursos e programas federais logo vão chegar ao Acre, Entretanto, ressaltou que o pais, como um todo, necessita das reformas estruturantes em curso para resolver as questões que atravancam o crescimento.

Para reportagem de A TRIBUNA, Gladson reafirmou sua confiança de que o agronegócio será o  futuro econômico do Acre, gerando empregos e mais renda para todos. Nos próximos dias, deve anunciar ações para incentivar e desburocratizar procedimentos que venham a facilitar quem quer se dedicar à a produção, em contato e com apoio de técnicos e investidores.

Ressaltou a importância da ligação com o resto do país pel a ponte do Abunã, que finalmente vai ver pronta ainda este ano e disse que isso terá profundo impacto grandeno futuro do Estado.

O governador não descartou novas mudanças para breve em sua equipe, mas não deu detalhes.

O governador teve indisposição durante a solenidade alusiva ao ia da mulher, na Assembleia Legislativa,  na quinta=feira e cumpriu o repouso desde quinta-feira à tarde. Não participou de agendas públicas na sexta-feira, mas manteve sua rotina de trabalho, assinando documentos, debatendo questões internas de governo em sua casa.

Nesta segunda-feira 18, ele retoma a rotina normal de trabalho, sem qualquer restrição.

Contratação de 15 veterinários encerra ameaça de falta de carne

O governador Gladson Cameli determinou aos diretor-presidente do Idaf (Instituto de defesa Animal e Florestal do Acre), Rogério Melo, que acelerasse o processo de contratação de pelo menos 15 médicos veterinários para atar junto aos frigoríficos para a inspeção da carne. A medida atende a exigência do MP, que ameaçava fechar os frigoríficos e impedir o abaste, o que poderia causar desabastecimeno no Estado..

O Acre possui 17 frigoríficos, que geram 600 empregos diretos. Com a determinação do Idaf, deixa de haver o risco do estado ser desabastecido de carne bovina por falta de profissionais suficientes para a fiscalização dos frigoríficos. A ação do governador afastou o risco de fechamento e a normalidade na fiscalização.

O IDAF vai também promover as medidas necessárias para a suspensão da vacinação de aftosa, parte importante do processo de certificação da carne para exportação.