Prefeitura reduz 268% número de casos da doença

As equipes de endemias da Prefeitura de Rio Branco se reuniram nesta quinta-feira, 2, no auditório do Palácio do Comércio, para avaliar os resultados alcançados na 16ª semana do ciclo de combate à dengue (14 a 20 de abril), que, no comparativo com a 2ª semana apresentou redução de 268% no número de casos da doença. Foram 342 casos registrados na 2ª semana contra 74 casos na 16ª semana.

 De acordo com o secretário de saúde da capital, Oteniel Almeida, durante a reunião, as equipes iniciaram o planejamento para o próximo ciclo. “A Prefeitura de Rio Branco dividiu o ano em 6 ou 7 ciclos de combate, a depender da necessidade. Nós encerramos a 16ª semana e agora estamos desenhando as ações futuras, disse. 

Conforme Oteniel, 33 imóveis foram identificados pelos agentes de endemias como de acesso dificultado, que podem representar uma ameaça de infestação do mosquito. No próximo ciclo esses imóveis podem ser visitados compulsoriamente, estando proprietário sujeito a medidas legais aplicadas pelo município.

 O secretário explicou ainda que as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti executadas pelo município, como a sensibilização da população para o problema, proporcionaram essa redução. “Apesar dessa redução, alertamos a população da necessidade de intensificarmos as ações de combate ao mosquito, pois ainda estamos em uma epidemia de dengue em nossa cidade. Houve expressiva redução no número de casos, mas o nível de amostras que reagiram positivamente ainda é alto, o que prova que o vírus está circulando”, explica Oteniel.

 Esclarecimento 

Com relação a matéria publicada na Agência Brasil no dia 30 de maio, destacando relatos de surto de dengue, zika e chikungunya em todo o país, a Prefeitura de Rio Branco esclarece que, no dia 18 de fevereiro deste ano, decretou situação de emergência em razão do reconhecimento de epidemia por doença infecciosa viral (dengue) no município.

A ação, entre outras coisas, permite que a Prefeitura dê prioridade às visitas dos agentes epidemiológicos no combate e tratamento dos reservatórios e criadouros do mosquito. Contudo, cumpre esclarecer, que o decreto termina em junho, mas os resultados satisfatórios de combate podem abreviar a saída do município da situação de emergência para o início deste mês.  Pedro Paulo/DECOMFotos Val Fernandes/DECOM