Fla sofre contra Peñarol mas passa de fase na Libertadores

Gabigol e Vitinho podem respirar aliviados. Não é exagero dizer que a classificação do Flamengo para as oitavas de final da Copa Libertadores aconteceu apesar deles. Isso porque, diferentemente de eliminações passadas, o Rubro-Negro não se furtou a jogar bola contra o Peñarol e o sufoco só se deu pela expulsão de Pará e, principalmente, pelas diversas oportunidades desperdiçadas pelos atacantes.

(Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Do outro lado, o clube uruguaio só se mexeu ao tentar causar uma confusão no final para emular uma valentia que não teve durante toda a partida. E o torcedor aplaudiu, mesmo sem ter motivo.para isso Muito se discute se Abel Braga é o técnico ideal para dar o salto técnico que este Flamengo cercado de expectativa necessita, mas, em Montevidéu, não houve nenhum sinal de covardia do treinador. Entre os destaques, o goleiro César, acostumado a assumir o posto em momentos críticos,

Cuellar, um dos jogadores mais completos do elenco, e Arrascaeta, que cansou de deixar os atacantes na cara da gol e, enfim, se tornou o titular que só Abel não enxergava no início da temporada. O Flamengo sobreviveu, mas ainda precisará se provar no mata-mata e justificar um dos elencos mais caros do continente. Os fantasmas foram afastados, mas em uma Libertadores eles sempre reaparecem na próxima esquina.

LANCE