Coluna Bom Dia

Semana agitada

A próxima semana promete ser agitada em ternos políticos e institucionais no Estado. O auge deve ser a adesão dos estudantes acreanos à paralisação nacional na quarta-feira em protesto contra as medidas do governo Bolsonaro para a educação. A Ufac, Ifac e outras universidades, além de estudantes secundaristas, devem engrossar a manifestação que terá caráter nacional.

Termômetro

A manifestação dos estudantes deve ser um termômetro da popularidade do Governo Federal, especialmente em um Estado como o Acre em que o presidente obteve 76% dos votos.

Troca

A semana deve marcar também a queda do secretário da Produção, Paulo Wadt, que parece que perdeu mesmo a briga com seu PSDB e com os fazendeiros acreanos.

Queda de braço

A queda de braço do secretário com os fazendeiros começou tendo como pano de fundo as medidas do Governo do Estado para retomar o maquinário que estava “emprestado”, para não dizer outros termos, nas propriedades de alguns produtores.

Non Grata

O secretário tornou-se persona non grata em várias fazendas e seu temperamento, apontado como difícil, não parece ter ajudado. Sua ligação com produtores de Rondônia, muito mais do que aos investidores do Estado, também colaborou.

Padrinho

Mas o que teria selado mesmo seu destino foi o conflito que ele arrumou com seu padrinho de indicação, o vice Major Rocha e com a deputada Mara Rocha. O cargo é do PSDB.

Nome

Para o lugar de Paulo Wadt deve ser indicado o fazendeiro Fernando Zamora, figura conhecida no Estado, leal e admirado com liderança na categoria.

Corda bamba

Quem estaria na corda bamba, com a demissão acertada, seria o diretor do Imac, o ex-prefeito André Hassem, Indicação da deputada Wanda Milani, que ainda luta para segurá-lo no cargo. Ele teria deixado de atender algumas determinações do próprio governador. Assim não há quem segure o moço.

Abalo

Isso deve ser um abalo grande para as pretensões de André e seu pai Luizinho de voltarem a comandar a política de Epitaciolândia, nas próximas eleições municipais. Saem enfraquecidos.

Disputa

Isso em um colégio eleitoral como Epitaciolândia, onde a disputa deve se dar voto a voto com algumas candidaturas fortes, na esquerda e na direita.

Assembleia

Na Assembleia, o assunto deve ser a reforma administrativa e a recomposição da base do governo, depois da conversa olho no olho da sexta-feira. O governador vai cobrar fidelidade e compromisso dos deputados.

Articulação

Deve ser uma semana de intensa articulação do líder da bancada, deputado Luiz Tchê, e do secretário Ney Amorim.

Viagem

O governador Gladson Cameli vai viajar para Dallas, nos Estados Unidos, com o presidente Bolsonaro. E espera poder conversar com o presidente no avião sobre assuntos de interesse do Acre.

Verba

Com certeza, nesses assuntos estará a verba para as BR’s, especialmente a 364. O Dnit confirmou que serão liberados recursos para a execução apenas de 60 quilômetros de recuperação, quando eram esperados 80 quilômetros.

Recuperação

Os recursos serão da ordem de R$ 50 milhões, que darão para agir nesses 60 quilômetros e para um serviço de tapa-buracos nos trechos mais críticos. E só.

Ponte

O governador recebeu notícias de que as obras de concreto, do piso da Ponte do Abunã devem ficar prontas o aniversário do Acre, dia 15 de junho. Mas ainda não será a inauguração.

Abertura

Para a abertura ao tráfego, será necessário, ainda, a construção dos acessos nas duas cabeceiras. Os projetos estão concluídos. O Dnit acredita que a verba exista, mas faltam os laudos ambientais, que estão sendo apressados. 

Obras

O governador Gladson Cameli reuniu-se com a secretária de Planejamento e Gestão, Maria Alice, para debater a possibilidade de firmar convênios urgentes com as prefeituras para uma reedição do projeto Ombro a Ombro de obras no interior do estado.

Feijó

Um dos municípios prioritários deve ser Feijó, especialmente na solução do problema crônico da estrada do aeroporto, que está praticamente intrafegável.

Capital

Na Capital, o Deracre começou a operar na AC-40, para ajudar a prefeitura. O trecho foi alvo de muitas manifestações de moradores.

Chineses

O governador Gladson Cameli ficou animado com a visita dos empresários chineses, especialmente porque eles mostraram grande interesse em operar a ZPE’s no Estado. Seriam plataformas de exportação para a China.

Infraestrutura

Os chineses conheceram projetos como o Dom Porquito, a fábrica de camisinhas e o complexo de piscicultura e mostraram interesse. Pode ser um caminho.

Aeroportos

Outro setor que tem tudo a ver com o interesse chinês é a privatização dos aeroportos de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, anunciada pelo Governo Federal.

Alfandegar

Os chineses poderiam alfandegar os dois aeroportos, que já são internacionais, que passariam a funcionar como portos secos e área de embarque das ZPEs, facilitando o envio de produtos para a Ásia. 

Privatização

Na busca de investimentos e de acordo com a ideia do ministério do Meio Ambiente de investir no ecoturismo, o governador deve oferecer a Serra do Divisor, parque nacional, para atividade ligadas à área.

Cuidado

É até possível o uso do parque, mas com cuidado, pois trata-se de uma das hotspots mundiais em biodiversidade. 

Passagens

O acreano está ilhado no Estado. Pode ser preciso ganhar na megasena acumulada para comprar uma passagem de avião, a preços absurdos e abusivos. O pior é que as empresas aumentaram o preço mesmo com a determinação do governo de zerar ICMS do combustível.

Quanto mais

Ou seja, quanto mais se dá, menos se consegue. Isso precisa acabar no pais, essa cultura de levar vantagem. Isso em uma conjuntura que nem uma mala é mais possível ser transportada sem custo!

Demissões

O próximo município a ser afetado por demissões e problemas de pessoal deve ser Sena Madureira. O prefeito Mazinho Serafim está às voltas com determinação do MP e TCE para adaptar a administração à Lei de Responsabilidade Fiscal.

Extrapolou

Sena Madureira extrapolou o percentual de despesas com a folha de pagamentos e não resta outra opção a não ser a demissão. A situação vai ficar feia para o prefeito Mazinho, no começo do ano, quando começa a ser debatida a sucessão municipal.

Sucessão

A possiblidade da candidatura de Minoru Kinpara pelo PSDB para a sucessão municipal é uma peça interessante no quadro da sucessão. Vai exigir que as demais forças políticas calibrem seus próprios candidatos. De início, devem coexistir vários candidatos de diferentes tendências.

Dois turnos

A eleição em dois turnos deve permitir isso. Com a exigência de candidaturas próprias para a Câmara Municipal, todo partido vai buscar uma cabeça forte para impulsionar votos partidários. É possível que o segundo turno marque alianças hoje improváveis.

Cedo

Antes de se debater a eleição municipal, é preciso ver que Brasil existirá no ano que vem. Como estarão as linhas ideológicas de direita, centro e esquerda. Hoje é impossível prever isso, ninguém se arrisca.

Gripe

Ainda é pequena a mobilização para a vacinação contra a gripe. A campanha acaba no final do mês. Especialmente na Capital, precisa ser incentivada. Tem que ser comentada nas igrejas, nas escolas, nas rodas de conversa.

Mata

A gripe H1N1 mata. Já houve mortes este ano no Acre. Não se pode brincar com a vida.

Mães

A coluna deseja um bom dia das mães para todas as famílias. Que seja uma data comemorada em paz, com amor e tranquilidade.