Coluna Bom Dia

Finanças

As secretárias Maria Alice Araújo e Semíramis Dias apresentaram panorama muito delicado na reunião entre o governador Gladson Cameli e os secretários, ontem. Segundo elas, há total descontrole com os empréstimos obtidos pelo Estado, com mais de R$ 1,2 bilhão de dívida.

Operações

Esse bilhão estaria dividido em mais de 900 operações de crédito, muitas sem controle, sem prestação de contas eficiente. As gestoras põem a culpa na gestão anterior.

Mostrar

Nesse caso, seria bom que viesse a público a absoluta transparência: que fosse publicada cada operação, seu destino, sua execução, o controle, para que a população se manifestasse a respeito, sem “diz que me disse”.

Base

Uma medida interessante a do deputado Tchê que, como líder do governo, quer unir a base em torno de reuniões com secretários para eliminar ruídos de comunicação, estabelecer normativas de informações e retorno para as pautas e pedidos parlamentares.

Já é tempo

Já é mais que tempo de implantar essa medida. Principalmente para que alguns secretários entendam que eles são funcionários burocráticos, demissíveis e os deputados têm mandato, foram postos em seus cargos por votação popular. Que, como funcionários do Estado, os secretários têm obrigação de prestar informações e responder a questionamentos.

Diálogo

Todo início de governo é a mesma coisa. Há sempre autoridades que querem pairar acima da política. Depois entendem que exercem função pública e que têm obrigações constitucionais de transparência. Que o diálogo é fundamental, especialmente em um governo em que o mandatário supremo tem mais de uma década de mandatos eletivos para mostrar a importância do voto popular.

Exemplos

Outros secretários entenderam bem o recado e o cargo. Por exemplo, o secretário Mauro Sérgio Cruz, da Educação, já se mostrou à disposição da bancada para encontros e para responder aos questionamentos. É assim que se faz.

Berlinda

Tem uma pá de gente no governo sem dormir temendo os remanejamentos de cargos de direção – diretores e chefes de departamentos – nomeados sem critérios técnicos e já comentado pelo governador.

Será?

Há quem diga que o discurso do governador foi só para agradar os eleitores. Mesmo assim a situação merece preocupação. Não foram poucos os que já rodaram a gestão depois de suas cabeças terem rolado primeiro pela imprensa.

Por enquanto

A informação ontem à tarde era de que o presidente do Imac, André Hassem, teria conseguido tirar o pescoço da guilhotina graças a uma conversa de sua madrinha, a deputada federal Vanda Milani.

Tempo

Mas essa permanência provisória não é garantia de nada. A situação de Hassem ainda é bem delicada dentro do governo e seus próximos dias não serão fáceis.

Cumprindo

Uma coisa que não se pode negar é que Gladson Cameli cumpre fielmente uma das frases mais emblemáticas dos primeiros dias da sua gestão: a mesma caneta que nomeia é a caneta que exonera. Que o digam os seus ex-auxiliares já demitidos.

Na rua

Aos poucos e sem fazer muito alarde, o ex-prefeito Marcus Alexandre começa a colocar a cara de volta nas ruas. Sábado participou da Marcha pra Jesus, mas ficou longe dos holofotes e dos cumprimentos dos irmãos.

Reunião

O Grupo do núcleo duro da gestão estadual esteve reunido ontem antes da viagem do governador a Brasília.

Economia

A pauta, mais uma vez, foi a situação econômica do Estado e os riscos do bom funcionamento do Estado diante da escassez de recursos. Haja reunião para tratar do mesmo assunto.

Hoje tem

Depois da reunião da semana passada, há uma grande expectativa de como irão se comportar os deputados estatuais da base da oposição na sessão de hoje da Aleac.

Sem norte

Não custa lembrar que na semana passada ficava difícil saber quem era base e quem era oposição.

Boa vontade

Mas o líder do governo, deputado Luiz Tchê, mostra boa disposição de acertar, de promover o entendimento. Ele sabe o caminho das pedras.

Junta

Na Junta Comercial, a empresária do setor de madeira Adelaide Fátima assumiu a vice-presidência da entidade. Experiente, capaz, bem articulada, é uma grande conquista da Junta. Ela foi vice-presidente da Fieac, e é respeitada entre os empresários.

Festa

O comentário político do Estado ontem não foi a viagem do governador, não foi a situação financeira do Estado, nem o sobe e desce dos cargos. O maior assunto foi a festa do dia das mães do vereador Chaguinha, de Cruzeiro do Sul.

Queimado

O vereador convidou as mães da comunidade do Miritizal, em Cruzeiro do Sul, para uma grande festa pelo dia a elas dedicado. Apareceu uma multidão, mas nada do vereador, nem dos comes e bebes. Lá pelas tantas, ele mandou avisar que não iria, que não faria mais nada porque o bolo que iria distribuir queimou.

Batata

No caso do bolo queimado, o que está no forno mesmo é a batata do vereador, que está assando. Ele está mais queimado na comunidade do que o tal do bolo. Coisas do Acre.

Bandeira

E surgiu um “historiador” para dizer que a bandeira do Acre está errada, que a divisão dos triângulos amarelo e verde está trocada; que o corte não seria feito de maneira ascendente da esquerda para a direita, mas de forma descendente, na mesma direção.

Cores

Assim, o vértice superior teria o encontro das cores amarelo e verde à esquerda, com a estrela vermelha no canto amarelo. Por curiosidade. No Brasil, as bandeiras do Acre, Mato Grosso do Sul, Roraima, Tocantins têm a faixa ascendente.

Descendente

O Pará e Paraná apresentam faixas descendentes. A bandeira do Acre só foi oficializada em lei em 1989. E durante os 10 anos do Estado Novo, os estados foram proibidos de ter bandeiras.

Agora, sim

Agora, sim, com a bandeira consertada, os problemas do estado estarão todos resolvidos. Seremos um estado de primeiro mundo. Tudo resolvido. Tem gente que perde tempo com essas coisas!

Estrada

O governo está trabalhando na AC-40. As obras estão avançando, mas há um erro. Não há um cavalete mostrando que a obra é do Governo do Estado. Está literalmente anônima. É uma falha.

Informação

Nesse caso, não é propaganda, é informação, que o cidadão precisa para cobrar e atribuir responsabilidades e reconhecimento.

Brasileia

Em Brasileia, os professores estão em pé de guerra com a prefeita Fernanda Hassem, que editou medida provisória suspendendo qualquer progressão e reajuste por seis meses. A chiadeira é grande.

Edital

Interessante é que a prefeita ao mesmo tempo em que suspendeu promoções, lançou edital para contratação de novos professores. Não dá para entender.

Mobilização

Amanhã está marcada a mobilização nacional de estudantes e professores contra os cortes de verbas nas escolas públicas, anunciadas pelo ministro da Educação.

Mobilização

No Acre, a mobilização está acontecendo, mas não se espere multidões nas ruas. O clima é de início da onda de insatisfação. Mesmo assim, o movimento será um bom termômetro do ânimo da população.

Clima

Enquanto o Acre luta para conseguir verbas para crédito de carbono, na onda da mudança climática, o governo Bolsonaro cancelou o segundo encontro internacional que o Brasil sediaria sobre o tema. Assim fica difícil para o Acre.