ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Após denúncia do MPAC, réus são sentenciados a 71 anos pela morte de 3 jovens

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) conseguiu a condenação de três homens em julgamento realizado nesta segunda-feira (13) pelo Tribunal do Júri. Os réus Mateus Mendonça da Costa, Luis Fernando da Costa Cruz e Lucas Freire de Lima, acusados de matar três jovens durante uma festa, foram condenados por homicídio triplamente qualificado, roubo com três causas de aumento e por integrar organização criminosa. As penas chegaram a 71 anos de reclusão para cada um dos acusados.

O crime ocorreu no dia 2 de fevereiro de 2018, na rua Adhemar de Barros, no bairro Novo Horizonte. De acordo com a denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Ildon Maximiano, a ação foi premeditada, planejada pela facção da qual os réus faziam parte, como forma de assegurar a hegemonia do grupo no tráfico de drogas.

Antes do homicídio, os acusados roubaram uma camionete no bairro Floresta e mantiveram o dono como refém sob a mira de um revólver. Neste período, transitaram pela cidade e passaram pela casa do membro de uma facção rival, que funcionava como boca de fumo, e confirmaram que havia uma festa no local.

Após se dirigirem ao ramal do Sinteac, onde deixaram a vítima amarrada, eles retornaram à casa onde ocorria a festa e, próximos ao portão, dispararam contra os presentes, atingindo as vítimas Luana Aragão da Silva, de 21 anos, Rafaela dos Santos Rodrigues, de 17, e Renan Barbosa de Andrade, de 20, que morreram no local. Os acusados ainda atiraram contra Cleiciane Rodriges Maciel, que foi socorrida após ser atingida e sobreviveu, e Cristina Reis de Souza, que conseguiu correr e escapar ilesa, mas foi morta a tiros em janeiro deste ano.

Para o promotor de Justiça Ildon Maximiano, as provas produzidas demonstraram a participação dos acusados no crime e o MPAC cumpriu seu papel. “Foi um resultado muito positivo para a sociedade, um crime bárbaro foi regularmente punido. Os culpados foram condenados e esperamos que agora possam cumprir suas penas”, destacou.