Vítimas da explosão de barco no Acre vão ser atendidas no João XXIII em BH

O Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, referência em atendimento de queimados, vai atender parte das vítimas da embarcação que explodiu na última sexta-feira (7) em Cruzeiro do Sul, no Acre. Duas pessoas em estado grave chegaram nesta terça-feira (11) no aeroporto da Pampulha, por volta de 4 horas da manhã. As vítimas, um menino, de três anos e quatro meses, que teve 24% do corpo queimado, e um homem, de 45, que teve 80% do corpo atingindo, foram encaminhadas à unidade de atendimento.

Imagem reprodução Google

No acidente, quatro pessoas morreram e 14 ficaram gravemente feridas. Segundo a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) outras três vítimas vão chegar a Belo Horizonte ainda nesta terça-feira, na parte da noite. O hospital poderá receber até nove vítimas no total. 

Segundo o diretor assistencial da Fhemig, Marcelo Lopes Ribeiro, a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) solicitou no domingo (9) a ajuda da equipe médica do João XXIII para atender os acidentados. “A SBQ entrou em contato comigo dizendo que a situação no Acre era calamitosa, que os médicos de lá não tinham nem expertise, nem equipamentos para atender os pacientes”, contou.

A partir desse momento, segundo o diretor, foi acionado o Plano de Atendimento a Múltiplas Vítimas (Plamv) para fazer o atendimento às vítimas do Acre, sem comprometer o funcionamento do hospital. “Temos 33 leitos de queimados, sendo nove de terapia intensiva, e 24 de semi intensiva. No domingo já estávamos no limite, com 32 leitos ocupados. Estamos remanejando alguns pacientes para outros hospitais”, afirmou.

Foto: Leonardo Alvarenga/Arquivo pessoal

Os pacientes acreanos estão sendo transportados em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Uma segunda aeronave, com capacidade para transportar até seis pacientes graves, chegou pela manhã desta terça-feira em Cruzeiro do Sul e deve seguir em direção a Brasília, onde os pacientes também serão atendidos.

A quantidade de vítimas encaminhadas para Belo Horizonte vai depender do estado de saúde deles. “Dois pacientes não têm condições de sair do Acre. Um bebê, de oito meses, e uma mulher, de 39. O médico vai avaliar os pacientes e ver se os outros suportam o transporte”, explicou.

O ACIDENTE

A explosão em um barco que levava passageiros e galões de combustível pelo Rio Juruá deixou quatro mortos e 14 pessoas gravemente feridas, no início da noite da última sexta-feira, 7, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre.

A Polícia Civil acredita que o barco era utilizado para o transporte irregular de combustível. Conforme o delegado Lindomar Ventura, da Delegacia Central de Cruzeiro do Sul, o barco estava ancorado e fazia o abastecimento de cinco galões de combustível quando houve a explosão.

As primeiras apurações indicam que um dos galões teria transbordado e combustível se inflamou ao atingir equipamentos do navio. As chamas envolveram rapidamente a embarcação, que transportava também malas de viagem e mercadorias diversas.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram mobilizadas para combater as chamas e dar socorro aos feridos. Pessoas com até 90% do corpo queimados foram levadas para o Hospital do Juruá. Com informações EmTempo.