ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Governo discute avanços e garante fortalecer saúde indígena no estado

Foto: Gleilson Miranda/Secom

O governador Tião Viana recebeu na Casa Civil nesta segunda-feira, 29, a coordenadora do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) do Alto Rio Purus – órgão do Ministério da Saúde (MS) vinculado à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) – Jiza Lopes, para dialogar a respeito dos avanços obtidos na Saúde Indígena do Acre. Na ocasião, o governador garantiu todo o apoio do governo no sentido de fortalecer as políticas desenvolvidas.

“Em breve, iremos fazer uma entrega de motores e barcos para as populações indígenas da nossa abrangência que são Sena Madureira, Assis Brasil, Manoel Urbano e Santa Rosa, e é muito bom contar com a parceria e apoio do governo do Estado nesse ato”, comentou a coordenadora.

Jiza destacou ainda, outros avanços como a composição total de toda a equipe médica por meio do programa Mais Médicos do governo federal. O governador sinalizou que a atenção à saúde indígena no estado é uma das prioridades do governo, que se manterá empenhado no desenvolvimento de ações que visam fortalecer o atendimento aos povos indígenas.

A Sesai, por meio da DSEI, irá avançar na construção de postos de atendimento de saúde indígena. Além disso, foi feita a aquisição de 48 botes de seis metros de comprimento, lanchas com cobertura e 20 motores, que serão entregues às comunidades. Os equipamentos servirão para toda a extensão de atendimento já que a maioria do acesso às aldeias é fluvial. O investimento é de R$ 500 mil oriundos do MS.

O DSEI no Acre

No Acre existem dois: o DSEI do Alto Rio Puros e o DSEI Alto Rio Juruá com sedes em Rio Branco e Cruzeiro do Sul, respectivamente.

O DSEI do Alto Rio Purus atende ainda, o Sul do Amazonas, nas cidades de Pauini e Boca do Acre, e Rondônia no distrito de Extrema, totalizando sete polos bases, com uma população de 10.400 indígenas num território de quase quatro milhões de hectares de terras demarcadas.

“Somos responsáveis pela atenção primária nas aldeias, ou seja, levar o enfermeiro, o médico, o dentista, o técnico em enfermagem para realizar ações de atenção primária nos municípios”, explicou Jiza.