ÚLTIMAS NOTÍCIAS >>

Corinthians se livra de pagar milhões por invasão ao CT

invasão

O Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (Sapesp) entrou em acordo com o Corinthians na Justiça do Trabalho por conta da invasão de mais de cem torcedores ao CT Joaquim Grava, no ano passado. O clube se livrou da indenização de R$ 6,2 milhões, mas assumiu a responsabilidade de não deixar que aconteça novamente. Agora, é o São Paulo quem vai se reunir com a Sapesp para evitar multas e problemas futuros.

“O acordo que tivemos com o Corinthians na Justiça caracteriza a responsabilidade do clube em garantir a integridade física de seus atletas. O clube abriu esse precedente de se tornar responsável daqui em diante, o que torna mais fácil pedir indenização. Nós não queremos os clubes pagando indenizações, queremos apenas que os atletas tenham condições de trabalhar em segurança”, explicou Rinaldo Martorelli, presidente do Sindicato.

O ex-goleiro do Palmeiras ainda avisou que vai se reunir com o São Paulo nessa semana para conversar a respeito das tentativas de agressão de torcedores a jogadores no mês passado, na saída do Morumbi, após derrota por 3 a 0 para o Goiás. “Devo me encontrar com o Leonardo Serafim, diretor jurídico do São Paulo. Queremos deixar clara a responsabilidade do empregador em garantir a integridade física do atleta”, definiu.

O Sindicato cobra do São Paulo o aumento da segurança nas atividades em que os atletas estejam presentes, como treinos e jogos, e por isso enviou uma notificação ao clube há algumas semanas. O mesmo ocorreu com o Corinthians no ano passado, por causa da invasão ao Centro de Treinamento. O clube ficou perto de ter que arcar com indenização aos atletas na faixa dos R$ 6,2 milhões.

“A gente estava propondo uma indenização para o empregador pois havia um ambiente inseguro para a realização do trabalho, então nós requeremos, na ocasião, danos morais causados aos jogadores motivados pela negligência do Corinthians com relação à segurança. O juiz chamou a gente e o Corinthians para mediar um acordo, que deixou o Corinthians com a responsabilidade de garantir a segurança do atleta”, explicou Martorelli.

No começo do ano passado, após a derrota do Corinthians por 5 a 1 contra o Santos, cerca de 100 torcedores invadiram o CT Joaquim Grava. Mesmo com reforço policial no local, os corintianos pularam um portão destinado à entrada da imprensa e entraram nos gramados. A comissão técnica agiu rápido e colocou os atletas em local afastado. Durante a invasão, os meliantes ameaçaram funcionários, depredaram equipamentos e roubaram celulares.