Cursos profissionalizantes garantem autonomia econômica das mulheres

Cursos inseriram 350 acreanas no mercado de trabalho

Cursos inseriram 350 acreanas no mercado de trabalho

Em quase quatro anos de gestão, a Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulheres)instituída em fevereiro de 2011, promoveu a autonomia econômica de mulheres de baixa ou nenhum renda, por meio de cursos técnicos profissionalizantes. Ao todo, 350 acreanas foram beneficiadas com cursos de corte e costura, cabeleireira, flores tropicais e jardinagem, pintura predial, pedreira e mecânica em motocicletas.

As qualificações profissionais foram possíveis por meio da parceria entre o governo do Estado e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, com apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Automotiva (Senat). Os cursos tinham como público mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Isa Tanara Meneses, moradora da Colônia Cinco Mil, em Rio Branco, foi beneficiada com o curso de corte e costura e já possui seu próprio negócio. “Eu estava precisando de uma oportunidade para movimentar minha vida e me dar um norte. Além de adquirir conhecimentos que podem ser aplicados no meu dia a dia, o curso me ofereceu uma perspectiva de renda, e isso mudou a minha vida”, ressaltou.

A dona de casa Rosimeire da Silva Costa admite que enfrentou muitos preconceitos quando decidiu fazer o curso de pedreira. “O pessoal dizia que eu era louca, que construção não era serviço para mulher, mas mesmo assim continuei e descobri que ser pedreira não é um bicho de sete cabeças”, afirmou.

“A inclusão socioprodutiva de mulheres consiste em dar oportunidade para a independência econômica por meio da geração de renda. Essa oportunidade foi ofertada pela SEPMulheres para que a autonomia pessoal possa mudar a vida dessas pessoas e os indicadores socioeconômicos acreanos”, destacou a gestora da pasta, Concita Maia.