Neymar segue como desfalque nas Eliminatórias

neymar-se-lamenta-no-jogo-do-brasil-contra-a-colombia-na-copa-america-1434591517431_615x300

Neymar não poderá defender o Brasil nas próximas duas partidas Eliminatórias da Copa. A CAS (Corte Arbitral do Esporte) rejeitou nesta sexta-feira (2) o recurso da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) movido contra a suspensão do jogador.

Com a decisão, Dunga não poderá convocar o atleta do Barcelona para os jogos contra Chile e Venezuela, nos próximos dias 8 e 13 de outubro, que serão disputados em Santiago e em Fortaleza, respectivamente. Em contrapartida, segue com uma vaga aberta para o lugar de Rafinha, que pediu para não ser convocado. A comissão técnica estava à espera do craque. O novo nome deve ser divulgado em breve.

A informação foi repassada à CBF e ao corpo jurídico que representou a entidade. Marcos Motta, advogado especialista em direito esportivo, esteve na Suíça para efetuar a defesa do jogador na última quinta-feira, com a esperança de que o julgamento fosse rápido e o atleta pudesse ser convocado às pressas.

Dunga e sua comissão técnica viajam para o Chile no dia 4 de outubro, às 16h20, e os jogadores têm o limite de chegar até a segunda-feira, quando a seleção já faria o seu primeiro treino, às 17h.

Não haverá recurso. “Foi uma batalha boa, é isso. Faz parte. Seguimos em frente”, destacou Marcos. O melhor jogador do país, agora, poderá voltar a jogar com a seleção no próximo dia 12 de novembro, contra a Argentina, fora de casa. No Brasil, o retorno de Neymar está marcado para o dia 17/11, contra o Peru, em Salvador.

Neymar recebeu quatro partidas de suspensão durante a participação da última edição da Copa América após se envolver em uma confusão contra a Colômbia com direito a toque de cabeça e bolada. Ele cumpriu duas e precisará cumprir as duas próximas nas Eliminatórias da Copa.

O recurso da CBF não visava que a suspensão fosse diminuída de quatro para três jogos, como chegou a divulgar a entidade inicialmente durante os amistosos disputados nos Estados Unidos. A ação foi para que as partidas que restassem como punição fossem cumpridas ou na Copa América do Centenário, em 2016, nos Estados Unidos, ou na Copa América de 2019, alegando que um gancho deve ser mantido apenas para o mesmo tipo de competição.

Durante os jogos contra Costa Rica, em Nova Jersey, e contra os Estados Unidos, em Boston, Dunga treinou sua equipe sem escalar o camisa 10. No último jogo, no entanto, foi ele que mudou o jogo ao entrar no segundo tempo e ser decisivo na vitória por 4 a 1.

Confira o comunicado da CAS:

A Corte Arbitral do Esporte negou hoje o recurso urgente da CBF contra a Fifa e a Conmebol em relação à punição de quatro partidas para Neymar que aconteceu na Copa América de 2015.

Nas partidas dos dias 14 e 17 de junho, durante a competição, Neymar recebeu dois cartões amarelos, seguido de um vermelho. No dia 19, a Conmebol discutiu o mérito e impôs quatro partidas de suspensão. O time brasileiro ainda jogou duas partidas, e Neymar deixou ainda duas para serem cumpridas.

A Conmebol, depois de consultar a Fifa, informou seus membros que punições que ainda não haviam sido cumpridas deveriam ser cumpridas na próxima competição oficial da Fifa, neste caso, as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Sendo assim, Neymar deveria ficar fora contra Chile e Venezuela nos próximos dias 8 e 13.

A CBF entrou com recurso no dia 15 de setembro tentando desafiar a posição expressada pela Fifa e pedindo que Neymar pudesse atuar nas partidas das Eliminatórias da Copa de 2018. Todos concordaram que ele fosse ouvido no dia 1º de outubro para analisar o pedido. Como o pedido da CBF foi rejeitado, Neymar ficará fora das duas próximas partidas da seleção.