Estado do Acre é o 4º lugar mais caro para construir

O preço da construção civil aumenta 0,19% e Acre passa a ser o 4º lugar mais caro para construir no país, no mês de outubro. A mesmas pesquisa com informações do mês de setembro mostrava o Estado na segunda colocação, posição que ocupou durante a maior parte do ano, com exceção dos meses de maio (3º) e outubro (4º).

casa_dona_luisa_cap_construcao_1

A queda ocorre porque o valor médio da construção civil do Acre teve a 13ª menor variação mensal entre as unidades da federação. Enquanto isso, em São Paulo e Santa Catarina , o preço médio da construção aumentou 1,55% e 0,93%, respectivamente. A terceira e a quarta maior elevação no mês, o que fez com que estas unidades ultrapassassem o Estado no ranking.

No Estado, o preço médio do material de construção por metro quadrado é de R$ 612,39 o mais caro do país. Já a mão de obra para construir a mesma área custa R$ 506,17. A soma dos dois valores é de R$1.118,56, abaixo das somas de Rio de Janeiro (R$ 1.146,94), Santa Catarina (1.125,90) e São Paulo (R$ 1.123,89).

O preço médio da construção civil no Acre teve aumento de 4,66% no ano e de 4,10% nos últimos 12 meses. Todos os dados da matéria são do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado na quarta-feira, 9.

A região norte ficou com a maior variação regional em outubro (1,63%), seguida pelo Sul (0,84%), Sudeste (0,81%), Nordeste (0,16%) e Centro-Oeste (0,16%). Os custos regionais, por metro quadrado, foram de R$ 1.038,04 (Norte); R$ 940,73 (Nordeste); R$ 1.073,36 (Sudeste); R$ 1.045,37 (Sul) e R$ 1.031,78 (Centro-Oeste).

Brasil

No país, a variação foi de 0,64% em outubro, 0,38 ponto percentual acima da taxa de setembro (0,26%). O acumulado dos últimos doze meses ficou em 6,37%, resultado superior aos 5,98% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2015 o índice foi de 0,27%.

O custo nacional da constru- ção, por metro quadrado, que em setembro fechou em R$ 1.014,80, subiu para R$ 1.021,25 em outubro. Desse valor, R$ 531,49 são relativos aos materiais e R$ 489,76, à mão de obra.

Natan Peres