Coluna Bom Dia

Cubanos

A saída dos médicos cubanos pode gerar um verdadeiro caos no setor de saúde no Estado, especialmente na periferia das cidades, zona rural e junto às comunidades indígenas. Os prefeitos estão em polvorosa e temem não conseguir suprir essas vagas por outra forma, gastando muito mais do que estão investindo no programa Mais Médicos.

 

Contrapartida

As prefeituras oferecem como contrapartida aos médicos cubanos um auxílio para alimentação, suplemento salarial da ordem de R$ 500 e mais o alojamento nos municípios e nos locais de atendimento. Além disso, as prefeituras fornecem o pessoal de apoio, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e de serviços gerais.

 

Atenção básica

Os cubanos são os grandes responsáveis pela atenção básica de saúde no interior. O grande temor é que, sem esses profissionais, prefeituras sejam obrigadas a assumir este trabalho. A saída dos cubanos ocasionará um grande fluxo de pessoas para as unidades de saúde existentes e também um êxodo de doentes em busca de atendimento na Capital. Upas e o Pronto Socorro devem sofrer com a chegada de mais pacientes.

 

Médicos

A coordenadora do programa de saúde Mais Médicos no Acre, Márcia Andreia explica que nunca houve qualquer reclamação sobre a capacidade e a qualidade do atendimento dos médicos cubanos. Os cubanos nunca reclamaram ou se revoltaram com a questão salarial, e quanto às restrições, houve pequenos incidentes em sua chagada, que logo foram eliminados. A verdade é que eles farão muita falta ao Acre.

 

Mudança

Se no governo da Frente Popular as igrejas evangélicas dominavam algumas áreas com indicações ligadas aos pastores, com predominância de lideranças como o Pastor Agostinho, da Igreja Batista do Bosque, no governo Gladson Cameli essa predominância deve ficar para a igreja católica da Capital e o bispo Dom Joaquim Pertiñez.

 

Educação

Será o bispo que vai indicar o novo secretário Educação, o professor Mauro Cruz. Estarão ainda na cota da Diocese outros cargos importantes na secretaria.

 

Igreja

É muito interessante ver que é a Diocese de Rio Branco e não a de Cruzeiro do Sul a indicar profissionais para o novo governo. É que a Diocese de Cruzeiro do Sul passa por uma grande transformação, com a aposentadoria de Dom Mosé Pontelo e a indicação de um bispo fora da Congregação dos Espiritanos. A igreja em Cruzeiro do Sul passará a ser dirigida por padres Salesianos.

 

Sebrae

No caso do Sebrae, é grande a pressão pela indicação do novo superintendente. O senador Petecão luta para indicar para o cargo o candidato derrotado a câmara federal Marivaldo Melo, ex-presidente do Basa.

 

Cargos

Há uma disputa surda por cargos no novo governo. Prefeitos estão buscando e mapeando os cargos disponíveis em seus municípios na quota do governo estadual para emplacar afiliados. Gladson assumiu o compromisso de fazer indicações técnicas, mas a pressão sobre ele é muito grande.

 

Disputa

Dizem que do encarregado da cozinha do presídio Manoel Amaro até o cargo de chefe do cerimonial do Palácio, a disputa por cargos está sendo acirrada. É preciso ver qual será a solução a ser dada pelo novo governador.

 

Semana

A semana deve ser decisiva para o novo governador. Ele pretende escolher novos nomes para seu secretariado e na quinta-feira recebe relatório do Tribunal de Contas sobre a situação que não é das melhores da economia acreana. A ordem será apertar o cinto.

 

Precatório

Uma questão que está adormecida, mas que pode se tornar explosiva é a dos precatórios. Está para estourar há necessidade de pagamento de mais de R$ 100 milhões em precatórios vencidos. A coisa só não é imediata porque o governo atual conseguiu adiar o pagamento, recorrendo à Justiça. Mas o caso vai estourar para o novo governo.

 

Diagnóstico

O diagnóstico de Educação estadual teria sido feito por técnicos da Ufac e representaria uma mudança radical de caminhos no Estado. Mas quem já viu elogia a qualidade do trabalho.

 

Advogado

Provável secretário de Saúde, Alysson Bestene vai ter, na sala ao lado da sua, um experiente advogado para orientá-lo em todos os convênios e contratos da secretaria. Alysson tem razão. Não quer correr riscos de fazer alguma coisa errada. É muito importante essa preocupação ética.

 

Decisiva

A semana que começa será decisiva para o próximo governo do Acre. Gladson Cameli deve receber formalmente os estudos técnicos de sua equipe econômica e também do TCE sobre a realidade da máquina pública e, logo em seguida, anunciar um pacote de mudanças na estrutura da administração do Estado.

 

Nomes

Também será a semana em que o novo governador irá conversar formalmente com os seus futuros secretários ainda não anunciados e apresentar aos partidos a situação do Estado e como cada um deve ser contemplado no futuro governo.

 

Técnico

O governador eleito tem reiterado aos seus aliados políticos que a indicações não podem levar em conta apenas engajamento político, mas acima de tudo qualidade técnica. Sem isso não haverá indicado em cargo.

 

Presença

Também será o momento em que a contemplação nos cargos estará mais evidente e como a vontade de cada um é maior que a estrutura do Estado, não vão faltar reclamações. Mas faz parte do processo.

 

Guerra I

Essa polêmica do Mais Médicos trouxe à tona uma quizila local, a guerra interna do PCdoB. Depois que Perpétua Almeida fez um post em redes sociais sobre o assunto dizendo que ia retomar a luta pelos médicos brasileiros formados no exterior que estaria parado desde que deixou o mandato. O colega de partido de Perpétua usou a mesma rede para contestá-la.

 

Guerra II

Moisés Diniz disse em nota que o trabalho em favor dos médicos formados no exterior tem um grande expoente na Câmara do Deputados, o deputado federal acreano Alan Rick que, inclusive, alterou a lei do Mais Médicos e que pode acompanhá-lo em parte dessa luta no curto período que exerceu o mandato de deputado federal.

 

Diáspora

Essa guerra interna do PCdoB é antiga, mas tornou-se mais pública este ano quando Moisés Diniz foi barrado na disputa federal e Eduardo Farias na disputa estadual para priorizar a eleição de Perpétua e Edvaldo Magalhães. E agora, pelo jeito, escancarou de vez.