Ação integrada de combate ao mosquito da dengue

O aumento de casos de dengue hemorrágica na capital acreana levou as autoridades da área de Vigilância Epidemiológica acender o sinal vermelho. Os dados disponibilizados pelo Núcleo de Doenças de Transmissão Vetorial, da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), correspondente ao mês passado apontou que foram registradas 636 notificações de casos de dengue no estado, mas apenas 159 casos tiveram a sorologia confirmada. Em 2019, foram contabilizado 350 notificações, sendo 186 casos de dengue confirmados.

A Cidade do Povo que é um bairro completamente urbanizado no Segundo Distrito registrou um elevado índice de infestação do mosquito da dengue de 9,88%, segundo revelou o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa). Os indicadores são piores em relação aos dados do ano passado que girou em torno dos 7.3%, enquanto o índice tolerado pelo Ministério da Saúde (MS) é de apenas 1%.

O levantamento apontou que em cada 100 residências visitadas quase 10 casas tinham um elevado número do mosquito da dengue. As comunidades com os piores indicadores foram: Cidade do Povo, Belo Jardim, Vila Acre, Baixada da Sobral, João Eduardo, Jorge Lavocat, Defesa Civil, Oscar Passos, Chico Mendes, Edson Cadaxo, Loteamento São Francisco e Estação Experimental.
Nas primeiras semanas deste mês, foram registrados poucos casos com sorologia positiva, mas no mesmo período do ano passado foram notificados 4.375 casos de dengue. Aproximadamente 2.593 casos com sorologia positiva no mês de janeiro de 2019.

Campanha – Os agentes de endemias buscam identificar os criadouros para elimina-los com o uso de inseticida. O relatório da Vigilância Epidemiológica Municipal apontou que 81% dos focos detectados estava no entorno das residências visitadas, enquanto 26% da infestação do vetor foi localizado depósito destinado a guardar água.

O prefeito Tião Bocalom, acompanhado do secretário municipal de Saúde, Frank Lima e do secretário municipal de Zeladoria da Cidade, Joabe Lira, estiveram no bairro da Cidade do Povo para deflagrar a campanha de combate ao mosquito da dengue. As equipes recolheram o lixo jogado nos terrenos baldios, enquanto os agentes de saúde percorriam os estabelecimentos comerciais e residências para orientar a população dos cuidados que devem tomar para evitar a proliferação do Aedes aegypti, principal vetor de transmissão da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela urbana.