Acre apresenta redução de 30% nos casos de dengue

O Acre registra até a 29ª semana epidemiológica (de 3 de janeiro a 23 de julho) deste ano 8.100 casos suspeitos de dengue, dos quais 1.071 (13%) foram confirmados, 5.243 (65%), descartados e 389 (5%) seguem em investigação ou aguardando resultado laboratorial.

Arrast_o_dengue_no_Abr_o_Alab_7___Foto_Marcos_Vicentti-580x420

Os dados foram divulgados pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) nesta quinta-feira, 4.

Em relação ao mesmo período de 2015, registraram-se 11.570 casos suspeitos. Desses 4.649 foram confirmados como dengue e 6.299, descartados. Os números apontam um decréscimo de 30% nas notificações no Acre em 2016.

Situação epidemiológica da febre chikungunya

Foram notificados 1.002 casos, sendo a capital do estado, Rio Branco, o município a apresentar o maior número de suspeitas (739), correspondendo a 74%. No mesmo período do ano anterior, foram registrados quatro casos de febre chikungunya, todos notificados em Rio Branco.

Situação epidemiológica da zika vírus e microcefalia

O estado registra 1.408 casos suspeitos de zika vírus de janeiro a julho de 2016, com confirmação de 1% (23 casos).

“Analisando os casos de 2016 por semana epidemiológica, observa-se um acréscimo nas notificações a partir da semana epidemiológica 5, atingindo o pico na semana epidemiológica 9 (153 casos). Nas semanas seguintes, houve oscilações no número de casos, com diminuição a partir da semana 16”, explica a gerente de Vigilância Epidemiológica da Sesacre, Eliane Costa.

Até a 29ª semana epidemiológica, foram notificados 37 casos de microcefalia, totalizando 48 se somados aos de 2015, sendo 44 residentes no Acre, três oriundos do Estado de Rondônia e um do Amazonas.

Dos 441 casos residentes no Acre, 30 foram descartados por critério clínico-epidemiológico, 12 estão sob investigação laboratorial e/ou epidemiológica e dois, confirmados.