Acre entre os cinco estados que reduziram o desemprego no 2º semestre de 2015

carteira-trabalho

O Acre está entre os  únicos estados em que não houve aumento do desemprego entre o segundo trimestre de 2014 e o mesmo período de 2015 foram junto com Tocantins, Rio Grande do Norte, Sergipe e Distrito Federal. O segundo trimestre de 2015 é marcado pelo agravamento do  desemprego, que aumentou em 22 dos 27 estados e unidades da federação, em comparação ao mesmo período no ano passado, segundo a pesquisa ampliada da Pnad, do IBGE.   No Acre, o desemprego saiu de 9,6% para pouco mais de 8% no período.

No Nordeste, o desemprego cresceu em sete dos nove estados e já passa de 10% na média da região: Rio Grande Norte (11,6%), Alagoas (11,7%) e Bahia (12,7%, a mais alta taxa no país). No Sudeste e no Sul, foi registrada alta nas demissões e na desocupação em todos os estados. Na região Norte, isso ocorreu em cinco estados; o Amapá é o quarto e último estado com taxa de dois dígitos (10,1%). No Centro-Oeste, em três dos quatro estados.

Na Bahia, que tem a maior taxa de desemprego no país, a construção civil e serviços na área têm contribuído para o momento ruim do mercado de trabalho. O setor absorvia 8,9% da população ocupada no segundo trimestre de 2014, mas caiu para 8,4% no segundo trimestre deste ano.