Acre pode ficar sem combustível a partir desta quinta-feira

Como parte da mobilização organizada por caminhoneiros em todo o Brasil, a base de distribuição de combustíveis que fica em Porto Velho (RO) também foi bloqueada, impedindo que os combustíveis levados pelas balsas possam ser transportados pelos caminhões tanque. O ato poderá resultar no desabastecimento dos de parte do Acre, parte do Mato Grosso e as cidades rondonienses.

Foto: Reprodução

O bloqueio é feito no porto e tem o apoio de motoristas de aplicativos, como o Uber. O protesto poderá resultar no cancelamento de voos, pois as aeronaves ficam impedidas de abastecer.

Autoridades do governo de Rondônia tentam negociar com os manifestantes, mas até o momento a mobilização está mantida.

Desde segunda-feira, os caminhoneiros realizam bloqueios pelo país, o que já vem resultando no desabastecimento. Mercados e postos de gasolina já alertam para a falta de produtos. Aeroportos já alertam para o cancelamento de voos em outros Estados.

O governo federal já começou a negociar com os caminhoneiros e prometeu reduzir impostos, mas o percentual não alegrou os trabalhadores que reivindicam uma queda ainda maior.

Ontem, a Petrobras anunciou a redução de 2,08% na gasolina e 1,54% no diesel.Mesmo com a proposta de baixa, o novo valor pode não chegar tão cedo para o cliente final, que dependerá de novas compras por parte dos empresários.

De acordo com especialistas, os motivos das elevações seriam os aumentos no preço do barril de petróleo e no dólar em comparação com o real.

Desde junho de 2017, a estatal, que possui o monopólio dos combustíveis, decidiu repassar todas as oscilações do mercado, evitando prejuízos associados aos efeitos do mercado externo.

Em quase um ano, a gasolina teve uma elevação no preço do litro de 58,76% e no diesel a alta chegou 59,32%.

Freud Antunes