Acre registra deflação de preços seguindo tendência nacional


publicidade

A inflação no país registrou a maior queda desde agosto de 1988, registrando queda de -0,31% refletindo em Rio Branco onde o índice também segue em queda, segundo o IBGE. Divulgado nesta terça-feira (9) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio na capital caiu 0,33% em relação a abril, que já apresentava queda. O saldo acumulado em 2020 é negativo, ou seja, está ocorrendo deflação de preços de 0,55% de janeiro até agora em Rio Branco.

No país, o índice de -0,38% acumulado no ano também mostra retração nos preços de bens de consumo enquanto a taxa registrada em abril foi de -0,31%.

Essa é a menor variação mensal desde agosto de 1998 (-0,51%) no Brasil. No ano, o IPCA acumula queda de 0,16% e, nos últimos doze meses, alta de 1,88%, abaixo dos 2,40% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2019, a taxa havia ficado em 0,13%.

Produtos não alimentícios apresentaram variação de -0,44%, enquanto, no mês anterior, havia registrado -0,84% em nível nacional, fenômeno que se repetiu no Acre por causa da pandemia. Os combustíveis, devido ao grande número de carros fora de circulação por causa da pandemia, colaboraram também para puxar para baixo o IPCA em Rio Branco.

Construção Civil

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), apresentou variação de 0,17% em maio, ficando 0,08 ponto percentual abaixo da taxa do mês anterior (0,25%) e 0,06 ponto percentual abaixo do índice de maio de 2019 (0,11%). De janeiro a maio, o índice acumula 1,33%. Nos últimos doze meses, a taxa soma 3,74%, resultado acima dos 3,68% registrados nos doze meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em abril fechou em R$ 1.172,05, passou em maio para R$ 1.174,02, sendo R$ 615,56 relativos aos materiais e R$ 558,46 à mão de obra.

No Acre, o índice variou 0,43% no mês, registrando alta acumulada de 1,14% no ano e 4,36% nos últimos dez meses. O custo da construção civil é de R$ 1.302,1 o metro quadrado, acima da média nacional, de R$ 1.174,02 e da média da região Norte, de R4 1,181,62