Acre registra mais três mortes por covid-19

Cezar Negeriros

Mais três mortes por covid-19 na capital acreana e 13 novos casos da doença, o estado registra agora 44 mortes e 1.460 pessoas infectadas.  A primeira vítima tinha 65 anos de idade, que estava internado num leito da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into/AC), enquanto a segunda era um paciente de 54 anos,  que faleceu no último  domingo na mesma unidade de saúde e a terceira vítima tinha apenas  38 anos de idade, mas que morreu na última segunda-feira (dia 11), numa das enfermaria da UPA do Segundo Distrito, que não apresentava nenhuma doença pré-existente.

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre)  cerca de 56 pessoas estão internadas, sendo nove  nos leitos das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e 47 pacientes nas enfermarias. Aproximadamente 935 infectados pelo coronavírus estão em isolamento domiciliar, pelo menos 425 já receberam alta médica, porque estão curadas da doença. Foram contabilizadas 5.074 notificações de casos suspeitos, mas 3.143 casos descartados e 471 exames aguardam o resultado da análise laboratorial do Centro de Infectologia Charles Mérieux.

O mapa epidemiológico do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) apontou que 16 municípios acreanos registraram casos de covid-19. A capital acreana lidera 1.192 casos com sorologia positiva, seguida de Cruzeiro do Sul, com 81 casos,  Plácido de Castro, com 68 casos, Acrelândia, com 30, Senador Guiomard, com 29,  Tarauacá, com 16, Xapuri e Sena Madureira, com 11 casos, Porto Acre, 8, Bujari, com 4, Mâncio Lima, com 3, Epitaciolândia, com 2, Assis Brasil, Brasileia, Feijó, Capixaba e Santa Rosa do Purus, com 1 caso positivo.

O coronavírus surgiu no estado de São Paulo como uma gripe virulenta, mas com o decorrer das semanas foi se transformando em diversas síndromes mortais em decorrência das  “tempestades de citocinas” que pode levar o paciente infectado à morte. Os médicos  que acompanharam a evolução da doença mundo afora descrevem outras consequências letais, como acidentes vasculares cerebrais e problemas cardíacos, enquanto outros cientistas chineses da Universidade de Medicina de Nanjing  descreveram complicações urinárias e problemas renais agudos.