Acre tem o segundo menor número de casamentos gay do país

Os cartórios do Acre realizaram seis casamentos homoafetivos no ano passado, segundo dados da pesquisa Estatísticas de Registro Civil, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o segundo menor número de casamenos gays depois de Roraima. São Paulo foi o líder nas estatísticas nacionais: 2.050 registros de uniões civis do mesmo sexo, 42% do total nacional. E, desse bolo, 1.134 foram registrados na região metropolitana de São Paulo.

Em todo o Brasil, 4.854 casamentos homoafetivos foram realizados no ano passado, ainda conforme a pesquisa. Trata-se de uma média de 19 casamentos entre pessoas do mesmo sexo por dia útil no Brasil.

Em 2011, o Supremo Tribunal Federal reconheceu, de forma unânime, a equiparação da união homossexual à heterossexual, assegurando diversos direitos aos casais.

Mas foi em 2013 que o Conselho Nacional de Justiça aprovou a resolução 175, que obrigou todos os cartórios do país a celebrar casamentos gays. Naquele ano foram registrados 3.701 casamentos.

O volume de registros em 2014 teve crescimento de 31% em relação ao verificado em 2013. A variação é distorcida, entretanto, pelo fato de os cartórios terem se tornado obrigados a registrar a união civil apenas partir de maio daquele ano.

Comparando maio a dezembro de 2014 ao mesmo período do ano anterior, o crescimento foi de 13%, de 3.135 para 3.528. Mesmo assim, o ritmo é o dobro das uniões civis em geral.

A região Sudeste concentrou a maior fatia (60,7%) das uniões homoafetivas em 2014. Logo em seguida estavam as regiões Sul (15,4%), Nordeste (13,6%), Centro-Oeste (6,9%) e Norte (3,4%).