Acre ultrapassa projeção de 250 mortes prevista, para 12ª semana de pico da pandemia

Acre contabiliza 254 mortes por covid-19, mas os infectados já beiram a casa dos 9.295 casos, sendo 204 novos infectados e nove óbitos nas últimas 24 horas.    De acordo com os boletins epidemiológicos do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), em apenas cinco dias foram registrados 47 mortes e 1.311 novos infectados, enquanto na semana passada registraram 42 mortes e 1.065 infectados. 

“Parece que estamos no pico da doença no estado, mas o platô desse pico está alargado”, lamentou médico Fernando de Assis, coordenador do Comitê de Prevenção e Contenção da Covid-19, da Universidade Federal do Acre (Ufac).

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) fechou a segunda semana deste de mês com mais de 250 mortos, o indicativo previsto pelo Comitê da Ufac somente para setembro deste ano. Se as medidas epidemiológicas não forem observadas (isolamento de casos e contatos, medidas de contenção de barreiras, como máscaras), segundo o professor do curso de medicina da Ufac,  não houver maior oferta de leitos nas unidades hospitalares do interior, mais recursos humanos e oferta de medicamentos (tanto na fase inicial , quanto nas mais avançadas) os indicadores tendem a crescer ainda mais no estado. “Essa mortalidade estava prevista de acordo com a estrutura hospitalar disponível, a  população existente  e a própria letalidade da doença”, revelou Dr. Fernando.

Destacou que as projeções para a pandemia da covid-19 no Acre levou em conta diversos cenários.     Afinal, as projeções e estimativas foram calculadas através do modelo epidêmico SIR, que considera uma população fixa com apenas três compartimentos: sensíveis, S(t); infectado, I(t); e removido, R(t). Os dados foram analisados por meio de um software, utilizando pacotes estatísticos para saúde, específicos para epidemias, e confrontados com uma calculadora epidemiológica desenvolvida por cientistas da Universidade de Brasília com membros do Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde e Organização Mundial de Saúde. “Essas projeções são baseadas, entre outras variáveis, no grau de distanciamento social, disponibilidade de leitos de enfermaria, leitos de UTI e número de infectados, que tem variabilidade diária”, destacou o pesquisador.

A Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) apontou que os nove óbitos, sendo sete do sexo masculino e dois do sexo feminino, mas os casos ficaram restritos aos municípios de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, com idades que variam entre 41 e 90 anos.  A comunidade artística lamentou o falecimento de políticas culturais da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), Sid Farney vítima da doença.  O ativista cultural lutou por vários dias num leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO-AC), mas veio a óbito na madrugada da última quarta-feira (dia 12).  “É com tristeza que recebemos a notícia da partida do nosso amigo Sid, mais uma vítima da Covid 19. Nossa solidariedade a todas as famílias que, assim como a nossa, choram a perda de um ente querido”, lamentou o ex-prefeito Marcus Alexandre, nas redes sociais.

Lamento –  O ex-governador Jorge Viana lamentou a morte dos militantes políticos do Partido dos Trabalhadores. Destacou que acabava de receber a notícia que  Farney perdeu a luta contra esse vírus. “Ele trabalhava com a gente, ele vivia com a gente. Nossas quintas das ladeiras não serão mais as mesmas”, lamentou. 

O servidor público e militante histórico da legenda Carlos Rêgo, foi mais uma  vítima da doença.   Estava internado desde a semana passada em Brasiléia, mas diante das complicações chegou a ser transferido para a capital acreana. Aguardou por vários dias uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), depois que conseguiu um leito veio a falecer na última sexta-feira.

A direção do partido emitiu uma nota de pesar lamentando da morte do militante. “Carlos era um companheiro e militante histórico do PT, verdadeiro e coerente com suas ideias, sempre lutou na linha de frente em todas as batalhas que o nosso partido travou nas últimas três décadas”.