Acúleo: Delegado diz que Operação desbaratou esquema criminoso de desvio de dinheiro público

O delegado Tiago Souza, da PF de Cruzeiro do Sul, fez um balanço positivo da Operação Acúleo da Polícia Federal no Acre (PF)  deflagrada nas primeiras horas da manhã de ontem nos municípios de Cruzeiro do Sul e Rio Branco. Pesam contra os acusados, os seguintes crimes: fraude em licitação, lavagem de dinheiro, corrupção passiva e ativa, peculato e organização criminosa.

As ordens judiciais cumpridas ontem foram expedidas pelo do Tribunal Regional Federal da Primeira Região  (TRF1) e tinham como alvo: dois ex-prefeitos de Cruzeiro do Sul, servidores públicos e empresários da área da construção civil. Os mandados de busca e apreensão, afastamento cautelar de servidores públicos envolvidos no esquema criminoso e a aplicação de medidas cautelares em substituição a prisão. “Demos cumprimento a 30 mandados de busca e apreensão na região do Vale do Juruá e três na capital acreana, para a coleta de provas contra os acusados de envolvimento no esquema criminoso”, declarou.

A investigação abrange o período de 2010 até 2020. A PF não informou os nomes dos acusados que foram conduzidos até a Delegacia da Polícia Federal (DPF) para prestar depoimentos e responder as acusações que estão sendo imputadas de envolvimento no esquema que desviou milhões de reais.   Uma das empresas investigadas chegou a movimentar R$ 50 milhões de licitações direcionadas para execução de obras no município.

Durante a apuração, os investigadores descobriram que os sócios da empreiteira chegaram a sacar mais de R$12 milhões, na boca do caixa, e realizado transferências eletrônicas para conta bancária de servidores públicos que não tiveram os nomes revelados.

Veja as notas emitidas pela Aleac, Partido Progressita, Nicolau Junior e Fagner Sales:

Nota de Esclarecimento da Assembleia Legislativa do Estado do Acre

Com o objetivo de repor a verdade acerca das publicações equivocadas sobre a operação da Polícia Federal denominada Operação Acúleo, executada na manhã desta sexta-feira (11) nas cidades de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, cumprindo mandado de busca e apreensão expedido pela desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso, no prédio da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), esclarecemos que:

  1. a) A investigação apura irregularidades em contratações feitas pela Prefeitura de Cruzeiro do Sul, com quem o presidente da Aleac, Nicolau Júnior, jamais manteve qualquer atividade empresarial, contratação ou negócios que justifiquem tal medida.
  2. b) A porta do gabinete do presidente Nicolau Júnior na Aleac em nenhum momento precisou ser arrombada, pois os policiais federais foram prontamente atendidos pela Polícia Legislativa, que abriu o referido gabinete.
  3. c) Os valores encontrados na residência do parlamentar possuem comprovadamente fonte lícita, oriunda de suas atividades como empresário e produtor rural, legalmente e devidamente registrado.
  4. d) Não existe nenhum mandado de prisão contra o presidente da Aleac, Nicolau Júnior, que durante todo o momento contribuiu para que os policiais realizassem seus trabalhos, assegurando o acesso dos agentes para que a elucidação dos atos seja feita e todo mal entendido desfeito.
  5. e) Erroneamente citaram o secretário executivo da Aleac, Cleilson Taumaturgo como alvo de operação policial. O mesmo não está sendo investigado por absolutamente nada.
  6. f) Não houve nenhuma busca no gabinete do secretário Luiz Gonzaga. Portanto, a porta não foi arrombada e se os agentes quisessem ter acesso a qualquer sala da Aleac, a Polícia Legislativa prontamente contribuiria.
  7. g) O presidente da Aleac, Nicolau Júnior, assim, como os demais envolvidos na operação da Polícia Federal, não foram proibidos de conversar com a imprensa, sendo orientados a não conversarem entre si.

Sendo reiterados os verdadeiros fatos sobre a ação da Polícia Federal, e, elucidando a verdade sobre todas as fake news divulgadas acerca do caso, a Assembleia Legislativa do Estado do Acre ressalta que apoia toda e qualquer ação que busque o esclarecimento dos fatos, se colocando à disposição para o que for necessário.

Assembleia Legislativa do Estado do Acre

Nota do Partido Progressistas

Nota de apoio ao deputado Nicolau Junior

O Partido Progressista do Acre manifesta e reitera a confiança no trabalho desempenhado pelo deputado estadual Nicolau Junior. Como cidadão e homem público, se disponibilizou a esclarecer fatos apontados como ilícitos, razão pela qual se coloca à inteira disposição das autoridades judiciárias para o que for necessário.

A população acreana reconhece o trabalho de Nicolau, um gestor que tem a vida dedicada ao serviço público e grande representante do povo no Legislativo Acreano.

O Progressistas apoia as instituições, reafirma seu compromisso com a  defesa da Constituição e da democracia e acredita que no decorrer do andamento das investigações, ficará comprovada a probidade e sua honra preservada.

Nota de Esclarecimento

Deputado Estadual Nicolau Júnior

Conforme noticiado pela imprensa, na manhã de hoje, agentes da Polícia Federal, cumprindo mandado de busca e apreensão expedido pela desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso, estiveram nos endereços pessoal e profissional a fim de coletar documentos no interesse de investigação que, aparentemente, apura irregularidades em contratações públicas realizadas pela Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul.

Nicolau Júnior nunca manteve com a Prefeitura, na atividade empresarial, qualquer tipo de contratação ou negócio que justificasse tal medida. Tampouco, atividade política, tratou de qualquer assunto que não fosse no legítimo interesse de ajudar a população de Cruzeiro do Sul.

Por isso, causa estranheza que tal ordem tenha sido a ele dirigida.

Mesmo assim, prontamente colaborou com as autoridades, franqueando amplo acesso a todos os dados que eventualmente possam colaborar com a elucidação dos fatos investigados.

Importante salientar que os valores em espécie encontrados em sua residência foram todos apresentados, possuindo fonte lícita e são oriundos da sua atividade empresarial e de produtor rural, devidamente registradas, sendo fruto unicamente de relações com pessoas físicas e jurídicas privadas, sem qualquer vinculação com o poder público.

Solicitamos de imediato acesso aos autos, a fim de que possamos entender quais acusações se dirigem à pessoa do Deputado Nicolau Júnior.

Como cidadão e homem público, chefe do Poder Legislativo estadual, apoia qualquer ação estatal séria que busque esclarecer fatos apontados como ilícitos, razão pela qual se coloca à inteira disposição das autoridades judiciárias para o que for necessário.

Cruzeiro do Sul, 11 de setembro de 2020.

Assessoria Jurídica.

Nota Fagner Sales

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Amigos, venho por meio desta, prestar os devidos esclarecimentos sobre a operação realizada pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira, 11.

Com minha consciência tranquila, espontaneamente, por volta das seis horas da manhã, abri as portas da minha casa para que os agentes cumprissem a lei.

Respeitosamente, fizeram as devidas buscas e questionamentos. Informo que apresentei tudo que me foi solicitado e nada de relevante ao processo de investigação foi encontrado.

A operação, que foi deflagrada para apurar possíveis fraudes em processos licitatórios, também aconteceu na capital Rio Branco e as medidas de buscas e apreensão foram feitas inclusive na Assembleia Legislativa do Estado do Acre, com um total de 33 mandados.

Esclareço, ainda, que em conformidade com a lei, prestarei os devidos esclarecimentos, na certeza de que não há qualquer possibilidade de eu estar envolvido com um suposto esquema de corrupção em processos licitatórios.

 Finalizo agradecendo a solidariedade de toda a população, na certeza de que meu compromisso com o município se mantém firme e forte, sem recuar, nem temer.  Aos adversários políticos que buscam a todo instante desconstruir a grande história de lutas e conquistas lideradas pela minha família, garanto que retribuirei tais ofensas, com ainda mais trabalho, pois é dessa forma que respondemos aqueles que não sabem o valor da dignidade, do respeito e do reconhecimento.

Fraternalmente, Fagner Sales.