Apicultor francês cria abelhas que produzem mel da maconha


publicidade

Quando se fala em maconha, logo surgem opiniões diversas, afinal, as drogas costumam gerar discussão em nossa sociedade. Mesmo com o consumo liberado em diversos países, como Holanda, Uruguai e Estados Unidos, a Cannabis sativa, ou maconha, costuma ser associada também a supostos benefícios para a saúde. Pensando nisso, um apicultor francês resolveu aliar essa polêmica planta à produção de mel.

20160315140446746590u

Nicolas Trainer, de 39 anos, é um artista e apicultor francês, que, desde os 10 anos de idade, utiliza a maconhaem benefício próprio, levando em conta os supostos benefícios medicinais – ele sofria de hiperatividade. Em 2008, ele decidiu unir as duas “paixões”: abelhas e Cannabis. Ele começou a treinar os insetos para utilizarem a resina própria da planta psicotrópica para produzir mel – normalmente, esse rico subproduto das abelhas é feito com o néctar das flores.

criador-de-abelhas-produz-mel-de-maconha

“Eu sempre soube dos benefícios dos produtos das abelhas para a saúde, como mel, pólen, própolis e geleia real. Também sei das propriedades benéficas da Cannabis. Por isso uni os dois”, diz Nicolas, em entrevista ao site da Dinafem, ONG especializada na produção de sementes de maconha.

O artista francês já é bem conhecido por treinar abelhas para retirarem néctar das frutas, ao invés das flores. Agora, conseguiu produzir mel a partir da resina da Cannabis. “As abelhas que produzem o ‘cannamel’ [ou cannahoney, em inglês, que é o apelido do mel da maconha] não são afetadas pelos canabinóides [substância psicotrópica], por não possuírem receptores para essas substâncias”, lembra Nicolas Trainer.

20160315140748865239u

Em relação ao sabor do produto, o apicultor diz que o aroma é bem frutado. Já em relação à cor, o especialista conta que depende do caule de onde foi retirada a resina. Com isso, o mel pode ter uma coloração que vai de verde clara a amarela. “É importante lembrar que o ‘cannamel’ não é uma droga. Pode ser consumido normalmente e faz bem para a saúde”, completa o francês. Ele já conta com mais de 30 colmeias para a produção desse mel nada comum.