Aula em casa: um projeto futurista

A Secretaria Estadual de Educação, em parceria com a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, vai anunciar nos próximos dias um programa de reforço pedagógico, com ampliação do regime especial de aulas não presenciais com transmissões pela televisão aberta, rádio e sistema digital. As transmissões do projeto ‘Aula em Casa’ serão feitas pela rádio Difusora Acreana (manhã, tarde e noite), TV Aldeia e uma outra emissora a ser anunciada.

O secretário Mauro Sérgio Cruz reunirá equipe nos próximos dias para discutir detalhes do projeto que poderá ter a participação da rede municipal de Rio Branco  será mais uma alternativa para manter a viabilidade das ações educativas, durante este período de pandemia e cmo reforço escolar.

A proposta de trabalho está prevista para quatro meses envolvendo ensino Fundamental I, II e Ensino Médio, com todo material impresso, atendendo plataforma educacional acerca de redes digitais e pode ser constituir de referência, podendo ser distribuído para todo Norte, segundo o secretário.

‘Aula em Casa’ – Com a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia do Covid-19, a Secretaria de Educação usou sua prática de aulas virtuais numa parceria com a Undime para garantir que os alunos da rede pública estadual não fiquem com o ano letivo defasado. Os alunos já podem assistir aos conteúdos pelo canal do You Tube. O secretário acredita que o projeto vai despertar interesse de outros estados, além da parceria com a Prefeitura de Rio Branco. O Acre vai ceder os conteúdos do “Aula em Casa” para outros Estados. A ideia é oferecer um leque de alternativas para a realização de atividades remotas, sob supervisão das escolas e das coordenações educacionais, para todos os níveis.

O que é a Undime

A união Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em 1986 e com sede em Brasília/DF. Tem por missão articular, mobilizar e integrar os dirigentes municipais de educação para construir e defender a educação pública com qualidade social.

Nessa nova fase, os casos estão concentrados no nordeste do país, que já registrou transmissão comunitária nas províncias de Heilongjiang e Jilin. A hipótese dos médicos é de que o vírus tenha chegado pela Rússia.

De acordo com o médico Qiu Haibo, um dos responsáveis por controlar a epidemia em Wuhan, os novos pacientes levam mais de duas semanas para apresentar os sinais da infecção. Essa demora preocupa porque o risco de transmissão aumenta.

Os sintomas também são diferentes. Um menor número de pacientes relatou febre e agora o vírus parece estar mais focado nos pulmões dos infectados. A boa notícia é que a maioria dos pacientes – 90% – não evoluiu para quadros críticos.