Banco do Brasil vai demitir 5 mil funcionários e fechar 361 unidades

Banco do Brasil (BB) informou hoje que vai implantar um conjunto de medidas relacionadas à revisão e ao redimensionamento de sua estrutura organizacional. A implementação deverá ocorrer durante o primeiro semestre deste ano, com a revisão de 870 pontos de atendimento. A projeção é de economizar R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025.

O banco vai implantar programas de demissão voluntária com fechamento de 361 unidades, entre agências, postos de atendimento e escritórios no primeiro semestre deste ano. O programa de demissão, que vai até fevereiro, prevê o desligamento de pelo menos 5 mil pessoas.

Das 361 unidades a serem fechadas, 112 são agências, 242 são postos de atendimento e sete são escritórios. Pelo menos 243 agências serão convertidas em postos de atendimento e oito postos de atendimento serão transformados em agências. Outras 145 unidades de negócios serão transformadas em lojas Banco do Brasil, sem guichês de caixas. O banco informou ainda a criação de 28 unidades de negócios, sendo 24 especializadas em agronegócio.

Não foram determinadas quais dessas agências e postos ficam no Acre.

Com a pandemia, cresceram as transações online e o uso de aplicativos dos bancos, que aproveitam para cortar custos de operação. O BB aprovou duas modalidades de desligamento incentivado voluntário aos funcionários: o Programa de Adequação de Quadros (PAQ), melhorando a distribuição da força de trabalho, com preenchimento de vagas e redução de funcionários onde houver excesso, no entender do banco. E o Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), disponível a todos os funcionários do BB.