Na Russia: brasileiros são acusados de machismo e assédio

Um grupo de brasileiros protagonizou cenas machistas, racistas e de assédio a uma jovem estrangeira durante a Copa do Mundo da Rússia. O vídeo que circula nas redes sociais, desde a noite de sábado (16), mostra cinco homens com camisas da seleção brasileira gritando frases machistas: “b***** rosa”, diz o grupo se referindo ao órgão genital feminino da jovem.

Nas imagens (fortes e ofensivas) é possível perceber que a moça não entende o idioma português e dá risada.

O Metrópoles destaca que a jovem estrangeira foi submetida a objetificação, reduzida aos órgãos genitais, e o vídeo é uma demonstração de racismo, uma vez que, ao glorificar a cor da moça, implica-se que outros tons de pele são inferiores.

Identidade de brasileiro que assediou russa em vídeo é confirmada

repercussão sobre um vídeo postado por um grupo de homens assediando uma russa no país sede da Copa do Mundo 2018 ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira (18). Um dos brasileiros que aparecem nas imagens, postadas nas redes sociais nesse domingo (17), foi identificado. Diego Valença Jatobá é pernambucano, do Recife, e já foi secretário de Turismo de Ipojuca, município que fica a 50 km da capital.

Revoltados com o assédio, brasileiros escreveram para a Embaixada do Brasil pedindo desculpas pelo comportamento dos homens. A deportação do grupo também foi uma das reivindicações. De acordo com informações do O Globo, até a tarde de hoje, já foram recebidas mais de dez cartas solicitando a saída dos brasileiros da Rússia.

Tanto a prisão quanto a deportação do grupo não é descartada, segundo a reportagem. Nesse caso, a jovem teria que prestar queixa contra os homens para, assim, as autoridade russas agirem. Até o momento, Diego Valença Jatobá não respondeu ao contato feito pelo O Globo.