Candidatos derrotados questionam resultado

Cezar Negreiros

O diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), Jonathas esclareceu que os candidatos que reclamam do resultado da sua votação no pleito do último domin-go (dia 15) têm que apresentar provas de suas alegações por meio de advogados, dentro dos prazos processuais. Diante do questionamento dos candidatos, a Justiça Eleitoral designará um juízo eleitoral que analisará e julgará caso a caso.

Os ex-vereadores Rabelo Goes (Patriota), que conquistou 886 votos e Alonso Andrade (Solidariedade), que obteve 604 votos, mas José Afonso não aparece os votos obtidos. Os candidatos Raimundo Noleto (DC), teve apenas 234 votos enquanto Janes Peteca (Avante), teve 777 votos, inclusive Nilson Marques, Rafael Leal, Cida Silveira e Dinho do Calafate também, questionaram o desempenho eleitoral.

O grupo candidatos derrotados preparam um mandado de segurança para solicitar a recontagem dos votos nas eleições proporcionais da capital acreana. Apesar deles não estarem em nenhuma das lista de eleitos, eles usaram as redes sociais com a alegação de que houve fraude, mas não apresentaram nenhuma evidência de irregularidade nas seções eleitorais. “A insatisfação é generalizada”, o candidato Alexandre Thomazini (Avan-te), que obteve mais de 600 votos.

Declarou que o grupo já conta com 40 candidatos a vereadores discordam dos votos que receberam no primeiro turno. Em entrevista concedida a imprensa, Thomazine declarou que esperava contabilizar entre 2.000 a 2.500 votos, mas os dados apontaram pouco mais de 600 dos votos válidos.

“A ideia é entrar com mandado de segurança pedin-do recontagem, mas antes disso vamos fazer uma queixa crime na Polícia Federal”, prometeu o candidato a vereador.