Chico Viga fala de descaso da Sesacre com paciente


publicidade

Em pronunciamento na sessão virtual desta terça-feira (9), o deputado Chico Viga (Podemos) falou de um problema que, segundo ele, tem tirado o seu sono nos últimos dias. O parlamentar relatou o caso ocorrido com uma mulher que teria sido levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Brasiléia a Rio Branco para tratamento de saúde e que veio a óbito.

“Servir o povo tem sido minha forte bandeira. Porém o descaso com o ser humano ainda é uma realidade presente na vida dos acreanos. Quero aqui registrar o fato ocorrido com a senhora F. C. M. A, que foi conduzida pelo Samu de Brasiléia a Rio Branco para tratamento de saúde e, infelizmente. veio a óbito. Seus órgãos foram doados, mas não chegaram a ser aproveitados porque cancelaram o voo na segunda. Órgãos esses que salvariam de 8 a 10 vidas”, enfatizou. A família, segundo o deputado, tem que pagar cerca de R$ 4 mil do translado do corpo de Rio Branco para Brasiléia. Ele disse ainda, que chegou a falar com um assessor do Secretário de Saúde, a quem pediu ajuda para auxiliar a família, mas que foi ignorado.

“Apesar da dor irreparável da perda, a família ainda precisa pagar aproximadamente R$ 4.000,00 no translado do retorno para Brasiléia. O pânico se instalou e a família iniciou uma busca por doações que pudessem trazer o corpo do ente querido. Falei com o assessor do Secretário de Saúde para ver a possibilidade do Estado em efetuar o translado, mas fui ignorado. Tratamento bem diferente do que é característico na Secretaria de Educação, onde o professor Mauro Sergio, demonstra sólidos exemplos de ética, preparo, competência e profissionalismo”, disse.

Chico Viga repudiou o descaso e defendeu a solidariedade ao próximo. “Repudio a soberba em um momento tão delicado. Vivemos um momento de incertezas, e o que esperamos é o renascimento de novos seres humanos, capazes de amar e ser solidários ao próximo. Sou consciente da luta incansável do governador Gladson Cameli pelo bem-estar do seu povo. Como também sei que a orientação a todos os escalões do governo é de servir ao povo e não se servir do povo. Para aqueles a quem o governador induz a seguir uma causa, mas que ainda não compreenderam, os alerto para o comprometimento, porque o compromisso desse governo é com o bem-estar de seus cidadãos”, concluiu.